Luis Enrique evita comparar final da Copa do Rei com jogo de sábado com o Alavés

Barcelona enfrenta adversário pelo Espanhol meses antes de decisão

Estadão Conteúdo

10 Fevereiro 2017 | 17h06

O Barcelona enfrenta neste sábado o Alavés pela 22ª rodada do Campeonato Espanhol. Embora o adversário seja o mesmo da final da Copa do Rei, que será disputada no dia 27 de maio, ainda sem lugar definido, o técnico Luis Enrique não vê relação entre os dois jogos. "Não vejo influência entre as duas partidas. Será um jogo complicado. Vamos precisar de uma boa atuação para conseguir os três pontos", afirmou o treinador em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

O compromisso do Barcelona diante do Paris Saint-Germain, terça-feira, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa, pode forçar uma escalação alternativa neste sábado. O Barcelona tem quatro desfalques, três deles por lesão (Mascherano, Rafinha e Arda Turan); Piqué será poupado para o jogo do torneio europeu. Messi, Suárez e Neymar, no entanto, estão garantido. Andrés Iniesta e Sergio Busquets, recuperados de lesão, devem recuperar a titularidade. O Alavés também deverá poupar jogadores após a classificação histórica para a final.

O Barcelona precisa da vitória. O Real Madrid é o líder do Campeonato Espanhol com 46 pontos, um a mais que o time catalão, o segundo colocado, e três a mais que o Sevilla. O Real, no entanto, tem duas partidas a menos que os dois competidores (contra Valencia e Celta).

Na opinião de Luis Enrique, o Alavés é a revelação da temporada. Além de ser o finalista da Copa do Rei pela primeira vez em 96 anos de história, o time da cidade de Vitória, na região do País Basco, está em 12º lugar, uma posição razoável para um clube modesto e sem grandes estrelas. Na última rodada, venceu o Sporting Gijón por 4 a 2 jogando fora de casa e só perdeu um dos últimos 16 jogos. "É uma (equipe) revelação por aquilo que está fazendo, pela maneira como atua, pela consistência, pelos números e pela posição que ocupa no campeonato", opinou Luis Enrique.

Uma das façanhas do Alavés na temporada foi ter vencido o próprio Barcelona dentro do Camp Nou no primeiro turno por 2 a 1, no mês de setembro. Naquela partida, o técnico Mauricio Pellegrino surpreendeu o rival com uma linha formada por cinco defensores e explorou os contra-ataques. Um dos destaques do jogo foi o atacante brasileiro Deyverson, que abriu o caminho da vitória. No duelo de ida, Messi, Suárez, Iniesta e Jordi Alba ficaram no banco de reservas. O time misto não funcionou.

Outro resultado surpreendente do Alavés foi o empate por 0 a 0 contra o Atlético de Madrid fora de casa. Por outro lado, a equipe é aquela que mais empatou no torneio - já foram nove igualdades. "A surpresa que eles fizeram no Camp Nou não é tão surpresa assim. Estamos na rodada 22 e eles somam 16 rodadas sem derrota. Isso significa que existe um grande trabalho tático e 100% de motivação", avaliou o técnico do Barcelona.

Nas últimas partidas, o time catalão tem sofrido com a marcação sob pressão dos adversários, logo na saída de bola. O técnico argumenta que não tem tempo para treinar alternativas, pois o calendário não abre espaço para treinamentos mais aprofundados. Com isso, o Barcelona tem alternado boas atuações e períodos irreconhecíveis. Luis Enrique afirmou que "também é um mérito vencer mesmo quando se joga mal".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.