Andreu Dalmau/EFE
Andreu Dalmau/EFE

Luis Enrique exalta elenco e minimiza punição da Fifa

Treinador não vê problema em passar um ano sem contratações, elogia elenco e diz que há poucas opções de jogadores melhores

Estadão Conteúdo

06 de dezembro de 2014 | 11h53

A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) deve se posicionar nos próximos dias sobre o recurso do Barcelona contra a punição que proíbe o clube de realizar contratações por um ano por quebrar regras de transferências de jovens. Mas isso não está tirando o sono do técnico Luis Enrique. Ele elogiou o elenco catalão neste sábado e disse que não teria problema nenhum de passar mais uma temporada com as mesmas peças.

"Contratar jogadores melhores dos que temos? Ou vai até o Real Madrid, ou a uma equipe de nível parecido com o nosso, ou não encontra melhores. No dia de hoje, se não podemos escolher jogadores de outras equipes, pouco podemos fazer. Sei que posso manter esse time sem contratar, por que não?", comentou em entrevista coletiva.

Em abril deste ano, a Fifa impôs a punição ao Barcelona, após uma investigação sobre a contratação de jogadores menores de 18 anos pelo clube espanhol. Sem apontar nomes, a Fifa avaliou que o Barcelona violou as suas regras de proteções a menores em 10 contratações, que incluiriam jovens oriundos da Coreia do Sul, França, Nigéria e Camarões.

Mas Luis Enrique não está preocupado com isso. Ele só pensa no clássico deste domingo diante do Espanyol, no Camp Nou, pelo Campeonato Espanhol. Com importante duelo pela Liga dos Campeões diante do Paris Saint-Germain na quarta, novamente em casa, o treinador admitiu a possibilidade de poupar algumas peças e escondeu a escalação para o confronto caseiro.

"Sempre faço minhas escolhas pensando em como podemos fazer dano ao rival. Vamos nos concentrar nesta partida e devemos levar a escalação mais potente possível, se bem que com a sorte que tenho com esta equipe, posso dizer que qualquer escalação será boa", afirmou. "No final, farei o que puder para não interferir. Mas quanto mais dias de descanso, melhor."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.