Alejandro Garcia/EFE
Alejandro Garcia/EFE

Luis Enrique vê clássico 'importante, mas não decisivo' diante do Real

Neste domingo, as duas equipes se enfrentam no Camp Nou

Estadão Conteúdo

21 Março 2015 | 11h29

Líder do Campeonato Espanhol, o Barcelona está somente um ponto à frente - 65 a 64 - do seu maior rival, o Real Madrid, a 11 rodadas para o fim da competição. Neste domingo, as duas equipes se enfrentam em um esperado clássico no Camp Nou, mas que para o técnico Luis Enrique não será decisivo. Ele reconhece a importância da partida, mas garante que não será ela que selará o destino catalão.

"É um jogo importante, mas não decisivo", declarou. "Ainda há outras dez partidas muito difíceis pela frente. Mas jogos com o Real Madrid são certamente diferentes de todos os outros. Eles são nossos eternos rivais e o time mais próximo da gente na tabela. Se nós ganharmos, também significa que eles não pontuam, e também há a disputa de saldo de gols em mente. Há muito para mirar."

Apesar de serem duas grandes equipes, o Barcelona teria o favoritismo no momento por viver fase melhor. A equipe reencontrou seu melhor futebol em 2015 e vê o trio Suárez, Messi e Neymar cada vez mais entrosado. O Real, por sua vez, vive momento conturbado, não vem exibindo um bom futebol e ainda sofre com a pressão da torcida, que já incomoda o elenco.

"Não há favoritismo claro em jogos como este. São duas equipes com muita qualidade e bastante capacidade. Mas nós temos a vantagem de jogar em casa e em frente de nossa torcida, o que sempre dá motivação extra", disse Luis Enrique. "Não vamos cair na armadilha de pensar que será fácil. Sabemos que a defesa estará sob séria pressão em alguns momentos e esperamos que a torcida possa focar sua empolgação para nos ajudar."

No primeiro turno, o Real foi superior e venceu por 3 a 1 em Madri. Por isso, Luis Enrique espera a mesma postura do adversário. "Eu espero um Real semelhante ao do primeiro jogo: bem posicionado no campo deles, pronto para colocar a bola à frente e com infinitos recursos para atacar. Eles podem dominar em muitas áreas do jogo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.