Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Luís Fabiano aproveita a nova fase

Luís Fabiano continua fazendo história no São Paulo. Domingo, contra a Portuguesa Santista, alcançou a marca dos 102 gols com a camisa do clube, em 133 jogos - média de 0,76 gol por partida, inferior apenas aos números de Friedenreich, com 0,81. Para completar, em três partidas pelo Campeonato Paulista, não recebeu nenhum cartão amarelo.O artilheiro decidiu mudar. No final da última temporada, percebeu que seu temperamento explosivo prejudicava sua carreira. As constantes expulsões colocariam em risco o seu futuro, principalmente em relação à seleção brasileira. Até mesmo o técnico Carlos Alberto Parreira disse que Luís Fabiano tinha de mudar. E ele obedeceu. Durante as férias, procurou uma psicóloga para iniciar tratamento. Os resultados já foram mostrados. "Decidi mudar, porque percebi que minha carreira ia ser prejudicada", reconheceu o jogador.Além de não tomar nenhum cartão amarelo no Campeonato Paulista, o artilheiro da competição, com cinco gols, tem estado mais tranqüilo nos jogos. Um dos responsáveis é o técnico Cuca.O treinador chegou ao São Paulo com fama de disciplinador. E sabia que tinha o desafio de colocar Luís Fabiano na linha. Por essa razão, assim que iniciou os trabalhos no clube do Morumbi, Cuca chamou o atacante e disse a ele que se continuasse com o mesmo comportamento, seria cada vez mais perseguido. Então, recomendou que evitasse os cartões amarelos. "Se ele (Luís Fabiano) ficar uns quatro ou cinco meses sem receber amarelo, deixará de ser visado pela arbitragem", dizia o técnico são-paulino.Para ajudar ainda mais o artilheiro são-paulino, a diretoria contratou o atacante Grafite, que veio para o São Paulo credenciado pela boa campanha no Goiás. A dupla de ataque prometia. Chegava ao time o ?garçom? que tanto faltava. O próprio Grafite diz que pretendia dar muitos gols a Luís Fabiano. E os números do Paulistão provam que os dois estão afinados. Dos sete gols marcados pelo time no torneio, cinco foram de Luís Fabiano e dois de Grafite.A prioridade de Luís Fabiano é a Copa Libertadores da América. O centroavante quer dar esse título para o clube e para a torcida.Afinal, em junho, pode deixar o São Paulo, já que tem propostas do exterior. "Não vou sair do São Paulo sem um título, ser apenas artilheiro não basta", diz, constantemente, Luís Fabiano.Reforço - A negociação com o meia Adriano, do Atlético-PR, ainda não foi fechada. Segundo o procurador do atleta, Luiz Taveira, o futuro dele deverá ser definido até quarta-feira - o Palmeiras também tem interesse. A contratação do jogador é um pedido do técnico Cuca, que quer alguém que possa atuar como segundo volante. Apesar de ser meia, Adriano também atua naquela posição."Não há nada resolvido", garantiu Luiz Taveira. "A situação será definida até quarta-feira. O São Paulo é um dos interessados."De acordo com Taveira, Adriano continuará no Brasil - ele ainda tem vínculo com o Olympique de Marselha, da França. "Estou treinando e esperando. Quero que tudo seja resolvido o mais rápido possível para eu poder jogar. O São Paulo está negociando. Mas quero que acertem tudo logo porque, se não der certo, vou procurar outro clube", afirmou o jogador.Mudança - O zagueiro Fabão, expulso contra a Portuguesa Santista, não enfrentará o América, domingo, em São José do Rio Preto. Assim, o uruguaio Diego Lugano deverá ganhar nova chance na zaga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.