Luís Fabiano explica: "O passado condena"

O atacante Luís Fabiano tem uma explicação muito simples para a sua expulsão contra o Fluminense. "Aquele zagueiro (Rodolfo) deu uma de maricona e despencou no campo. Fui expulso e ele levantou logo. Se eu desse uma cotovelada nele, não levantava mais. E, se fosse dar, não seria ali, na lateral, com todo mundo vendo. Pegava ele na área, em uma cobrança de escanteio", disse nesta quinta-feira o jogador do São Paulo, após seu time vencer por 1 a 0 pela Copa Sul-Americana.Se não foi cotovelada, o que aconteceu, então? "Ele estava me batendo faz tempo. Ficava dando pontapé no meu pé, na minha perna. Eu estava ali no canto, protegi a bola com o pé e abri o braço para evitar que ele se aproximasse mais. Talvez eu tenha aberto demais o braço, mas de jeito nenhum era lance para cartão vermelho", contou o atacante.A expulsão, para Luís Fabiano, tem uma explicação muito simples. "O passado condena. Eu não tenho crédito nenhum com juiz. Eles sempre acham que eu estou errado, sempre apitam contra mim. Olha, quem entende de futebol, quem já jogou, sabe que eu não tive culpa nenhuma. Foi aquele mariquinha que caiu e ficou fingindo", desabafou.Luís Fabiano jura que está torcendo para que Parreira veja a fita do lance. "Se ele assistir, vai me absolver, tenho certeza. Se escutar o que os outros vão falar, talvez eu seja prejudicado, mas acredito na justiça do Parreira", disse o atacante, esperando não ser prejudicado na seleção brasileira.O técnico Roberto Rojas não concorda com Luís Fabiano. "Eu acho que ele foi expulso de maneira justa. Não foi cotovelada, mas foi imprudência. Nosso time foi prejudicado por essa atitude, ficamos sem a possibilidade do contra-ataque, com o Kléber brigando sozinho lá na frente. Ainda bem que os outros jogadores se esforçaram muito. O Fluminense, quando ficou com um a mais, atacou menos do que antes, por causa da nossa marcação", avaliou o comandante são-paulino.A diretoria vai decidir se o jogador receberá algum tipo de multa, mas as chances de isso acontecer são pequenas.Para domingo, será difícil a volta de Gustavo Nery, que teve uma contratura na coxa direita. O São Paulo vai jogar no esquema tático 4-4-2, com Rogério Ceni, Leonardo, Lugano, Jean e Fabiano; Carlos Alberto, Adriano, Marco Antônio e Ricardinho; Kléber e Luís Fabiano, que promete não levar cartões. "Eu já prometi isso e estou cumprindo. O juiz é que me expulsou, não fui eu que aprontei", defendeu-se o atacante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.