Luís Fabiano leva prêmios individuais, mas exalta equipe

O atacante Luís Fabiano terminou a Copa das Confederações com dois prêmios individuais: a Chuteira de Ouro, por ter sido artilheiro da competição, e a Bola de Prata, dada ao segundo melhor jogador do evento. Mas para ele, o troféu mais importante foi o título conquistado pela seleção brasileira com a vitória por 3 a 2 sobre os Estados Unidos.

AE, Agencia Estado

28 de junho de 2009 | 19h33

"Eu tinha esse desejo de ser artilheiro e falei que gostaria de fazer cinco gols na competição, no fim deu tudo certo. Mas o que me deixa mais feliz é a conquista coletiva, porque no fim a gente fica mais marcado pelo título", afirmou o jogador, que destacou o jogo coletivo como principal arma da equipe.

"Esta seleção é bastante unida, e esse é um diferencial. Aqui nós sabemos que todos são importantes, e isso ficou claro no jogo contra a África do Sul, quando o Daniel saiu do banco para fazer o gol da vitória. Todo mundo quis o tempo todo conquistar o título, e não apenas pensar no lado individual", disse Luís Fabiano.

A menos de um ano para o início do Mundial, Luís Fabiano disse que o momento é de manter boa fase para garantir uma vaga na equipe que voltará à África do Sul em 2010. "Minha vez vem chegando a cada jogo, e eu tento corresponder. Espero que fique assim até a convocação final e que eu possa conseguir realizar esse sonho que é jogar uma Copa do Mundo"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.