Paulo Fernandes/Vasco
Paulo Fernandes/Vasco

Luis Fabiano nega rivalidade com Guerrero, mas alfineta: 'Tenho muito mais gols'

Reforço do Vasco mostra seu habitual estilo irreverente e controverso em sua apresentação

O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2017 | 15h58

Grande contratação do Vasco para a temporada, Luis Fabiano foi apresentado oficialmente à torcida e à imprensa nesta terça-feira. Em suas primeiras declarações no novo clube, o atacante mostrou o estilo irreverente e controverso que marcou sua trajetória. Ao ser questionado sobre uma possível rivalidade com Paolo Guerrero, do Flamengo, minimizou, mas não sem alfinetar o peruano.

"Já enfrentei o Guerrero, mas não tem rivalidade com ele. Cada um defende o seu. Mas eu tenho muito mais gols do que ele", declarou, antes de exaltar a rivalidade entre vascaínos e rubro-negros. "Esse tipo de coisa é legal, mas sem violência. Precisamos voltar a ter essa rivalidade mais tranquila."

As comparações entre Guerrero e Luis Fabiano foram levantadas pela própria torcida do Vasco. Se os flamenguistas homenageiam o peruano cantando que "acabou o caô, o Guerrero chegou", os vascaínos já entoam um novo funk que avisa: "Não adianta falar que acabou o caô, o caô só começou, o Fabuloso chegou".

"É o folclore do carioca fazer música. É muito legal, gostei. Com certeza é muito legal, e são coisas que motivam. O caô só começou", declarou Luis Fabiano. "Penso em fazer o maior número possível de gols, e jogar o máximo possível de jogos. O mais importante é o Vasco ter um bom ano."

Ao longo dos últimos dias, Guerrero apimentou a rivalidade com o Vasco ao dizer que "o Flamengo sempre vai ser favorito" diante do rival. A declaração veio às vésperas do confronto de semifinal da Taça Guanabara entre os clubes, neste sábado.

Se Luis Fabiano minimizou uma possível rivalidade com o peruano, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, foi taxativo ao provocar Guerrero. "Luis Fabiano será o carrasco do Flamengo. Quem quer comparar ele com o Guerrero, está de sacanagem. O Luis está anos-luz na frente, e pronto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.