J. F. Diorio/Estadão
J. F. Diorio/Estadão

Luis Fabiano passa a noite no hospital em observação

Atacante é submetido a uma tomografia, que não detecta fratura

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

24 de setembro de 2015 | 07h13

O atacante Luis Fabiano, do São Paulo, passou a noite no hospital após sentir dores no tórax durante o jogo com o Vasco, nesta quarta-feira, no Morumbi.  O jogador foi submetido a um exame de tomografia, pela manhã deve ser novamente avaliado e de acordo com os médicos, nada grave foi constatado, condição que possibilita o atleta a receber alta ainda em breve.

"Luis Fabiano foi submetido a tomografia, que não detectou nenhuma fratura. Seguirá no hospital e pela manhã fará exames complementares", escreveu o São Paulo em sua conta no Twitter. Na mesma rede social, a esposa do jogador, Juliana Clemente, também explicou que o quadro não preocupava.  "A princípio não tem fratura, mas ficará esta noite aqui em observação", escreveu.

No hospital o jogador estava acompanhado da mulher e passaria a noite em um quarto. Os exames que serão realizados vão avaliar a condição muscular e pulmonar dele. O clube ainda não estipulou qual a previsão de retorno dele às atividades. Na tarde desta quinta-feira, o time se reapresenta no CT da Barra Funda na parte da tarde.

Aos 34 minutos do segundo tempo Luis Fabiano caiu no gramado, saiu carregado em uma maca e foi levado ao hospital São Luiz. O atacante reclamava de dor e de dificuldade para respirar e chegou a deixar os médicos do clube preocupados com um risco de fratura de costela, algo já descartado. "Ele disse que não sabe o que aconteceu. Não soube me dizer se foi uma pancada, um choque no tronco ou uma cotovelada", disse o presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, em entrevista à Rádio Globo.

O São Paulo jogou com um a menos os minutos finais da vitória por 3 a 0 pelas quartas de final da Copa do Brasil. O técnico Juan Carlos Osorio já havia feito as três substituições quando Luis Fabiano se machucou. O atacante marcou o último gol do jogo, ao finalizar de peixinho um cruzamento do colombiano Wilder.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.