Luís Fabiano procura ajuda de psicólogo

A diretoria do São Paulo quer ver Luís Fabiano no divã. Dirigentes e amigos o aconselharam, logo após a expulsão diante do Corinthians, a procurar ajuda de psicólogo. E o jogador já resolveu aceitar a sugestão. O artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 23 gols, sofre, desde que chegou ao São Paulo, com o forte temperamento e com o excessivo número de cartões recebidos nos jogos. Por isso, no ano passado, foi atendido por Regina Brandão, profissional que trabalhou com Luiz Felipe Scolari na seleção brasileira. Até que gostou da experiência, apesar de algumas restrições, mas, em 2003, deixou de lado a ajuda da analista. Regina deve, novamente, ser a escolhida.Além de ter de cumprir a suspensão no sábado, contra o Goiás, Luís Fabiano pode ser punido com mais algumas partidas pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) publicou nesta terça, em seu site, o relatório do clássico, no qual a juíza Silvia Regina de Oliveira contou ter sido ofendida pelo atleta: "Tinha que ser mulher, sua burra, o que eu fiz?", teria dito o são-paulino, logo após a expulsão.Luís Fabiano luta, agora, para ficar fora dos holofotes, enquanto se recupera psicologicamente. Ele avisou nesta terça que não pretende dar entrevistas antes de retornar aos gramados. Só poderá voltar ao time no meio da próxima semana, contra o Guarani, no Morumbi. "Não tenho nada para falar", explicou.Para o confronto com o Goiás, o técnico Roberto Rojas já tem substituto para o artilheiro: será Kleber, que cumpriu suspensão. Ele deve também manter Diego Tardelli entre os titulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.