Felipe Rau/Estadão - 11.02.2014
Felipe Rau/Estadão - 11.02.2014

Luis Ricardo não se vê devendo futebol no São Paulo

Quando jogava na Portuguesa, lateral era apontado como um dos melhores da posição

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

20 de março de 2014 | 18h12

SÃO PAULO - Contratado como solução para a lateral direita no início da temporada do São Paulo, Luis Ricardo não empolgou e agora luta para reconquistar seu espaço. Mas, ao menos em seu ponto de vista, ele não está devendo nada em relação aos tempos de Portuguesa, quando chegou a ser apontado como um dos melhores jogadores da posição.

Para Luis Ricardo, ele vem cumprindo à risca as orientações de Muricy Ramalho, mas reconhece que tinha mais espaço para atacar quando defendia o clube do Canindé.

"Na Portuguesa tinha um pouco mais de liberdade de sair e as jogadas passavam pelo meu lado. É outro clube, outro esquema, outros jogadores e tenho que entender o que meu treinador pensa. Alguns dizem que não faço o que fazia na Portuguesa, mas não estou mais lá. Faço o que meu treinador pede, aqui é um grupo e tenho que fazer o que me é pedido", afirmou.

Atualmente Douglas é o dono da posição e Luis Ricardo chegou a ser aproveitado como ponta direita, mas a inconstância na equipe titular não parece preocupá-lo. Para ele, seu sucesso depende mais das oportunidades do treinador do que de uma eventual evolução.

"Nosso treinador costuma mudar bastante a equipe pelo que ele entende do adversário, a cada jogo que analisa ele entende que deve jogar com um atleta. Tiveram jogos que fui titular, outros nem fui (relacionado), outros fiquei no banco. Ele escala como acha melhor. Minha afirmação vai depender do nosso treinador, os treinos e jogos estão aí e ele será bem sábio para optar pelo melhor".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCLuis Ricardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.