Douglas Magno/AFP
Douglas Magno/AFP

Luis Suárez diz que não volta à Inglaterra por não jogar contra o Liverpool

'Seria estranho para mim jogar por algum outro lugar', declarou o uruguaio de 34 anos

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2021 | 21h02

Se depender de suas motivações pessoais, o uruguaio Luis Suárez não retornará ao Campeonato Inglês. O atacante do Atlético de Madrid refutou qualquer chance de jogar na Premier League devido seu carinho ao Liverpool, clube o qual defendeu entre 2011 e 2014, antes de acertar com o Barcelona.

No clube de Anfield, Suaréz, de 34 anos, marcou 82 gols em 133 jogos. O uruguaio quase liderou a equipe na conquista do Inglês da temporada 2013/2014, mas a equipe terminou o campeonato em questão na segunda colocação, atrás apenas do Manchester City.

"Jogar por outro time na Inglaterra que não o Liverpool seria muito difícil", declarou Suárez em entrevista à revista World Soccer. Ele ainda revelou que ficou muito feliz com o título inédito do Liverpool na era da Premier League, mas que não considera retornar à Inglaterra.

"Eu tinha, e espero que ainda tenha, um relacionamento tão bom com os torcedores do Liverpool que seria estranho para mim jogar por algum outro lugar", explicou o uruguaio. "Seria especial para mim conquistar um campeonato com o time, mas eu sou grato que a espera agora terminou."

Já na reta final de carreira, Suárez chegou recentemente ao Atlético de Madrid após saída conturbada do Barcelona, que envolveu polêmica com o ex-presidente do clube, José Maria Bartomeu. Ele foi papel fundamental para a conquista do Campeonato Espanhol dos comandados de Diego Simeone, algo que não acontecia desde 2014.

"No momento, estou curtindo aqui", diz Suárez sobre defender o clube de Madri. "Eu curto aqui, estou adaptado à Espanha. Não tem necessidade de pensar em partir. Quando eu penso o quão bem eu fui recebido no Atlético e a fé que o técnico mostrou ter em mim, foi fácil para mim tomar a decisão", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.