Luizão deve deixar o Corinthians

O atacante Luizão dificilmente continuará no Corinthians em 2002. Mesmo que o Hertha Berlim, da Alemanha, não confirme a contratação, o jogador corintiano poderá se transferir para o Real Bétis, da Espanha, que também está interessado nele.O empresário de Luizão, Francisco Monteiro, conhecido como Todé, revelou nesta terça-feira que o Bétis demonstrou interesse na contratação do atacante. Ele também antecipou que o clube espanhol deverá fazer uma proposta "irrecusável" pelo jogador, assim que o mercado em seu país reabrir, dentro de três meses."Já falei para o Luizão que vai aparecer coisa melhor para ele", disse o empresário, que não acredita muito na proposta do Hertha Berlim. A negociação, segundo Todé, está sendo conduzida pela empresa norte-americana Hicks Muse, patrocinadora do Corinthians e dona do passe do atacante. O clube alemão estaria disposto a pagar cerca de US$ 14 milhões e ainda cederia o atacante Alex Alves para a equipe paulista.O assessor de imprensa de Alex Alves, Ivan Silva, garantiu nesta terça-feira que o atacante não sabe do interesse do clube alemão em repassá-lo ao Corinthians. "Mas Alex Alves ficou contente com essa história", admitiu o assessor.Luizão esteve muito perto de deixar o Parque São Jorge no primeiro semestre deste ano. Já estava tudo certo com o Borussia Dortmund, da Alemanha, mas ele sofreu uma grave contusão e precisou operar o joelho direito. O negócio foi desfeito e ele acabou renovando por mais três anos com o Corinthians.A possível saída de Luizão não causa surpresa aos integrantes da principal torcida uniformizada corintiana, a Gaviões da Fiel, que se tornou o principal grupo de oposição às diretorias do clube e da Hicks Muse. "Encaramos a negociação de Luizão como um fato normal. Não há mesmo amor à camisa, e tanto o Corinthians como a empresa estão mais interessados em vender os jogadores. Até as últimas revelações já foram embora, como Edu e Ewerthon. O próximo a sair deverá ser o Gil. Portanto, não nos surpreenderá se Luizão for embora?, criticou Wellington Rocha, um dos diretores da organizada.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2001 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.