Luizão e Tardelli: briga de gerações

A chegada de Luizão ao São Paulo está promovendo um interessante encontro de gerações na equipe. O jogador tinha tudo para desenvolver uma rivalidade saudável com Diego Tardelli pela posição de titular no ataque. Mas não é bem assim que as coisas estão acontecendo no time do Morumbi e rapidamente os dois estão desenvolvendo grande camaradagem. E o motivo é inusitado. "Eu joguei com o pai do Tardelli no começo da carreira no Paraná", conta Luizão, hoje com 29 anos.O meia-direita Tadeu foi bicampeão paranaense pelo Londrina e também jogou no Atlético-PR. Hoje já encerrou a carreira e acompanha de longe a trajetória do filho. "Nem acreditei quando o Tardelli falou que o pai dele tinha jogado comigo lá no Paraná. Quando fiquei sabendo disse que queria falar com ele e chegamos a conversar por telefone", conta Luizão. "Disse ao Tadeu que faria o que pudesse para ajudar o filho dele", acrescenta.De fato, Luizão está cumprindo a promessa. Segundo Tardelli, a comunicação entre os dois é intensa. "A gente está sempre conversando", diz o jogador, de 19 anos que aproveita para receber dicas e mais dicas do companheiro de equipe, que tem dez anos a mais de experiência e passagens pela seleção brasileira.Mas a camaradagem da dupla, no entanto, tende a ficar mais fora dos gramados. Assim que estiver recuperado fisicamente, é realmente grande a possibilidade de Luizão disputar com o próprio uma vaga de titular na equipe. O jogador recém-contratado afirmou que gostaria de fazer sua primeira partida pelo São Paulo ou pelo menos ficar no banco de reservas no próximo fim de semana. Mas, segundo o técnico Leão, isso deve levar muito mais tempo. "O Luizão está sem jogar desde setembro e se recuperou recentemente de contusão. As coisas tem de ser feitas com cuidado e a volta dele será gradual", afirmou o treinador são-paulino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.