Luizão espera fazer gol em Marcos

Artilheiro brasileiro em Libertadores ao balançar as redes adversárias 26 vezes, Luizão não gosta de prometer gols. Até evita tais comentários. Mas nesta quarta-feira pretende aumentar seu retrospecto contra o goleiro e amigo Marcos. "Sou suspeito de falar do Marcos, um grande amigo. Ele sempre cresce em decisões, mas espero fazer gol nele novamente", afirma o atacante, sem lembrar em quantas oportunidades já anotou contra o rival. "Foram muitas. Só que agora quero marcar e sair vencedor."Até agora o duelo entre Corinthians e Palmeiras, na edição de 2000, não sai da cabeça do goleador. Na época defendia o alvinegro e acabou eliminado. Após vitória por 4 a 3 e derrota por 3 a 2, 5 a 4 nos pênaltis. "Carrego aquela lição comigo. Inclusive a usei para falar com os companheiros," ressalta. Luizão fez dois gols nos duelos. "Tivemos chance de matar o confronto. No primeiro jogo poderíamos golear e... a vaidade atrapalhou."A lição citada por Luizão o tornou o psicólogo do grupo são-paulino. Está passando tranqüilidade aos companheiros, e prega, a todo momento, pés no chão. "Se achar que já ganhou, entra em campo derrotado". E atuar pelo empate? "Só podemos pensar na igualdade nos cinco minutos finais. Antes, é buscar a vitória a todo momento."Outra motivação no duelo frente a Marcos virá das arquibancadas do Morumbi. Mais um amigo, este vindo da Alemanha, estará torcendo pelo atacante. Olheiro? Empresário? "Era meu tradutor na época em que defendia o Hertha Berlin." No momento, interesse no atleta é do futebol japonês, do qual só falará após a Libertadores.O interesse de Luizão na competição é muito grande. A ponto de dizer que está desligado do Brasileiro. "Não dá para pensar em outra coisa. É minha opinião," revela. "Se nos classificarmos, só falaremos do jogo da quarta-feira (contra Tigres ou Once Caldas)."E manda, indiretamente, um aviso ao goleiro Marcos. "Em Libertadores a bola me procura e com certeza vai procurar," acredita. "E antes do jogo não desejo boa sorte ao Marcos, não. Depois, até faço um churrasco lá em casa para ele."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.