Luizão estuda propostas e sonha com seleção

Luizão é o retrato do jogador moderno. Daquele que bem assessorado sabe muito bem se colocar profissionalmente e que não desperdiça dinheiro. O jogador de 28 anos não se prende a contratos ou dores na consciência. Como qualquer trabalhador liberal sempre procura lugar melhor para trabalhar. Foi assim que ele percebeu que não teria como continuar no Hertha Berlim e antecipou a sua saída em dois anos. Assim como fez no Guarani, Palmeiras, La Coruña, Vasco, Corinthians e Grêmio, o atacante saiu do clube antes de terminar o seu contrato. Deixou o clube germânico na penúltima colocação do Campeonato Alemão. Se apalavrou com o presidente Marcelo Teixeira do Santos. Mas um empresário ofereceu o atacante Reinaldo, ex-São Paulo, ao técnico Emerson Leão que se interessou mais. O diretor de Futebol do São Caetano, Genival Leal, soube do impasse e ofereceu uma saída honrosa: atuar no time do ABC. Se não der certo, a diretoria do Flamengo também quer o atacante. "Voltei ao Brasil e iria pescar. Mas como surgiram propostas de clubes importantes resolvi antecipar a minha preparação física.Acredito que em dez dias estarei em ótimas condições. Tive uma contusão e estou me tratando no São Paulo com o fisioterapeuta Luiz Rosan. Dentro de dez dias estarei pronto para voltar a campo", promete Luizão. Em 11 anos de carreira, o jogador tem 227 gols. Títulos importantes como o pentacampeonato mundial, o Mundial de Clubes com o Corinthians, a Libertadores com o Vasco e estaduais com o Palmeiras, Vasco, Corinthians e Paraná Clube. "Eu sou um jogador que por onde passei fiz história. Só que preciso está feliz para continuar na equipe que estou. Se não for assim, eu saio. Não sabia que no Hertha Berlim eu tinha de fazer funções táticas que não tem a ver com o meu futebol. Mesmo com o esquema (defensivo) eu era pressionado para fazer muitos gols. Infelizmente, não foi o que eu esperava. Por isso saí", afirma o atacante que fez oito gols nos dois anos que pertenceu ao clube alemão. Jornais alemães asseguram que Luizão recebia dois milhões e meio de euros por ano no Hertha. Ou seja: ele teria mais cerca de R$ 17,6 milhões. "Foi um acordo amigável. Não vou falar os valores", diz o atacante. Se comenta que ele receberá um milhão de euros em quatro parcelas. Luizão só não jogará no Corinthians. Ele continua com uma pendência financeira com a Hicks Muse. A sua advogada Gislaine Nunes processa a multinacional. Isso inviabiliza a sua volta ao Corinthians. "Eu não sou político. Sou sincero. Tenho ligações fortes com os clubes que passei. Por isso todos falam que posso voltar ao Corinthians, Palmeiras, Vasco. Só garanto uma coisa: não vou fazer leilão. E estou bem fisicamente. Onde jogar vou bater muito a mão no peito para comemorar gols. E vou batalhar uma nova chance na seleção brasileira."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.