Luizão não deve jogar 4ª em Goiânia

O atacante Luizão, do Corinthians, deve continuar fora da equipe na partida contra o Goiânia, quarta-feira, em Goiânia, pela segunda fase da Copa do Brasil. O jogador havia sido desligado da equipe pelo técnico Wanderley Luxemburgo no jogo contra o União Barbarense, sábado, em Santa Bárbara d?Oeste, porque estaria tratando da sua transferência para o Borussia Dortmund, da Alemanha. Como a situação de Luizão continua indefinida, o treinador deverá mantê-lo fora do time. Por causa da negociação, Luxemburgo acha que o jogador não estaria com a cabeça voltada exclusivamente para defender o Corinthians. O vice-presidente do clube do Parque São Jorge, Antonio Roque Citadini, não quis antecipar hoje se o atacante estaria no clube nesta seunda-feira à tarde para treinar normalmente com os companheiros e ficar à disposição do técnico para a próxima partida. Luxemburgo deverá manter a dupla de atacante formada pelos jovens Éwerthon e Gil. Os dois foram destaques da equipe na vitória sobre o União Barbarense por 4 a 3. Cada um fez um gol na partida. Marcelinho, de pênalti, e João Carlos completaram o resultado para a partida da capital. Luizão deu declarações no sábado mostrando ter ficado irritado com o "vazamento" da notícia sobre a negociação do seu passe com o clube alemão. O plano do jogador era manter o caso em sigilo por mais uma semana, até fechar o contrato. Mas o jogador disse que os dirigentes do Corinthians foram responsáveis pela divulgação da notícia. O atacante tinha pensado em um plano para despistar a imprensa. "Eu iria simular uma contusão e ficar uns dez dias fora de cena", disse o atacante. Citadini evitou rebater as declarações do jogador. "Não vai adiantar nada eu ficar falando sobre isso", disse o dirigente, que deve acertar amanhã se o atacante continuará treinando normalmente no clube, enquanto espera a definição da negociação com o clube europeu. "Ele parece que quer um seguro como garantia", disse o dirigente. ELOGIOS - Luxemburgo destacou a atuação do Corinthians na vitória sobre o União Barbarense. O treinador afirmou que não houve comodismo do time que, depois de estar vencendo por 4 a 1 no primeiro tempo, permitiu a reação do reação. "No segundo tempo criamos umas cinco jogadas de ataque. O time em momento algum diminuiu a força ofensiva", disse o técnico, que começa a montar amanhã à tarde o time para o jogo contra o Goiânia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.