Luizão pode ter contrato rescindido

A diretoria do Santos não fala abertamente, mas já admite a possibilidade de rescindir o contrato do atacante Luizão - que corre risco de ser punido com uma longa suspensão pela agressão ao volante Wendell, na partida de quinta-feira da semana passada, contra o Corinthians, na Vila Belmiro, no clássico remarcado pelo STJD. O atacante deverá ser julgado na sexta-feira com base no artigo 253 (agressão) e poderá ser punido com suspensão que varia de 120 a 540 dias. Os dirigentes parecem ter chegado a um consenso que só valerá a pena manter o contrato na hipótese de o atacante ser absolvido. Luizão foi apresentado como reforço do Santos no dia 26 de setembro e estreou quatro dias depois, no jogo contra o Fortaleza. O craque, no entanto, não conseguiu se firmar e acabou na reserva. No jogo contra o Corinthians, entrou no segundo tempo e com menos de 1 minuto em campo, foi expulso por agredir o adversário com duas cotoveladas.Depois de uma passagem rápida de aproximadamente 1 mês pelo Nagoya Grampus, do Japão, Luizão se transferiu para o Santos, que pagou US$ 1,5 milhão pela rescisão do contrato com o clube japonês. O contrato de jogador com o Santos termina em dezembro 2006. GIOVANNI - Além de Luizão, o Santos ainda corre o risco de perder o meia Giovanni - que também será julgado na sexta-feira pelos distúrbios ocorridos na Vila Belmiro. O meia chutou a bola para a arquibancada logo depois do terceiro gol do Corinthians, numa atitude que foi considerada o estopim da revolta dos torcedores, que passaram a invadir o campo, impedindo a continuidade da partida. Giovanni foi indiciado com base no Artigo 279 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) que trata de incitação à violência e corre risco de ser suspenso por até dois anos. Se for condenado, o jogador poderá inclusive encerrar a carreira. Na melhor das hipóteses, o meia pode ser enquadrado no Artigo 258 (atitute anti-esportiva) que prevê pena de suspensão de 1 a 10 jogos. Além de Luizão e Giovanni, o goleiro Saulo também será julgado nesta sexta-feira. Com tudo, escalar o time para o clássico de sábado contra o São Paulo, se transformou num grande problema para o técnico Nelsinho Baptista. O treinador já não iria contar com a sua zaga titular, já que Avalos e Luiz Alberto estão machucados.

Agencia Estado,

19 de outubro de 2005 | 11h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.