Justin Tallis / AFP
Justin Tallis / AFP

Lukaku brilha no retorno ao Chelsea, com gol, bola na trave e vitória no clássico

Atacante abre o placar contra o Arsenal e Reece James anota o segundo ainda no primeiro tempo

Redação, Estadão Conteúdo

22 de agosto de 2021 | 15h11

Sete anos depois, Romelu Lukaku voltou a defender a camisa do Chelsea. E a reestreia pelos Blues não poderia ser melhor neste domingo. O camisa 9 foi decisivo na vitória sobre o Arsenal, por 2 a 0, no clássico de Londres. Com direito a gol, bola na trave, um baile de imposição física sobre Pablo Marí e pedido de silêncio aos torcedores rivais, o belga foi o nome do jogo no Emirates Stadium.

Lukaku entrou em campo sob enorme expectativa após bela passagem pela Internazionale. E foi logo comprovando que o investimento do Chelsea não seria em vão. Logo aos 15 minutos, ele tirou o zero do placar e fez gesto para a torcida do Arsenal, que o provocava, se calar.

Sentindo bem em campo, como se estivesse há tempo no Chelsea, o atacante se divertiu na casa do Arsenal. Beijou bandeira, bateu no peito e exibiu o símbolo do novo clube enquanto os torcedores faziam enorme festa pelo seu retorno. Bateu palmas pelo reconhecimento e fez festa ao ouvir música feita da torcida a ele.

Reece James ainda anotou o segundo gol do Chelsea no primeiro tempo, o que fez a reestreia de Lukaku ser ainda melhor. Com boa vantagem, ele pôde arriscar as jogadas. Toda hora aparecia para fazer o pivô ou tentar cabeçadas ou giros a gol. Numa delas, só não ampliou graças a desviou de Leno. A bola bateu no travessão.

"Fominha", passou o jogo todo com o braço erguido pedindo bolas na área. Até reclamou de alguns companheiros quando não foi servido. Mas, depois reconhecia que nem sempre era possível receber. O Arsenal melhorou no segundo tempo, não conseguiu descontar, mas ao menos evitou uma derrota maior, apesar de Lukaku toda hora criar um lance de perigo.

Lukaku saiu extenuado e feliz de vida de campo. Foi bastante cumprimentado pelos companheiros ao apito final. Até mesmo alguns rivais parabenizaram o belga, como o também atacante Aubameyang. O técnico Thomas Tuchel brincou que queria 60 jogos de seu centroavante na temporada. O primeiro já saiu e o campeão europeu ganhou a segunda seguida no Campeonato Inglês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.