Justin Tallis / AFP
Justin Tallis / AFP

Lukaku faz apelo pelo fim do racismo nas redes sociais: 'Futebol é alegria'

Atacante do Chelsea lidera luta para que tais crimes não terminem impunes; em 2019, belga foi alvo de ofensas racistas por perfis não identificados

Redação, Estadão Conteúdo

23 de setembro de 2021 | 16h18

Jogadores dos times ingleses estão se ajoelhando antes das partidas no país para protestar contra a discriminação no futebol. Nos estádios, o comportamento dos torcedores melhorou, mas nas redes sociais muitos atletas ainda são vítimas de insultos. Uma dessas vítimas virtuais, o belga Romelu Lukaku, do Chelsea, fez um apelo aos CEOs das empresas de mídias sociais pelo fim das injúrias raciais.

Em 2019, Lukaku foi chamado de "macaco" por perfis não identificados nas redes sociais. Agora, o centroavante encabeça luta para que tais crimes não terminem impunes. Em nome de diversos jogadores, ele aproveitou entrevista na CNN nesta quinta-feira para apelar.

"Nós, como jogadores, podemos boicotar as redes sociais, mas acho que são as empresas que têm de vir e falar com as equipes, ou com os governos, ou com os próprios jogadores e encontrar uma forma para conter o abuso", exigiu Lukaku.

"No final das contas, futebol deve ser um jogo divertido", afirmou. "Você não pode matar o jogo por discriminação, isso nunca deveria acontecer. Futebol é alegria, é felicidade e não deve ser um lugar onde você se sinta inseguro por causa da opinião de algumas pessoas sem educação", disparou, indignado.

E revelou que sua luta vai além de uma opinião individual. "Eu tenho que lutar, porque não estou lutando só por mim. Estou lutando pelo meu filho, pelos meus futuros filhos, pelo meu irmão, por todos os outros jogadores e seus filhos, por todos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.