Lula: 'Brasil fará Copa para nenhum argentino botar defeito'

Presidente aponta a alegria do torcedor como a imagem que ficará para o mundo do evento em 2014

BBC e EFE

30 de outubro de 2007 | 16h11

Para o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, não há dúvidas de que o País demonstrará ao planeta que está preparado para organizar um Mundial que "marcará a história das Copas", em 2014. Ele disse nesta terça que o país "fará uma Copa para argentino nenhum botar defeito" e ressaltou que o país "saberá fazer a lição de casa", na cerimônia na sede da Fifa que confirmou a sede do evento.Veja também: Brasil é confirmado como sede da Copa do Mundo de 2014 Brasil enfatiza preservação ambiental na apresentação na Fifa Paulo Coelho brinca: futebol é mais importante que sexo Imagens da cerimônia na sede da FifaAs cidades candidatas a sede da Copa do Mundo de 2014 Opine: o que você acha do Mundial no Brasil?"Eu tenho certeza de que a coisa que mais vai empolgar torcedores, jogadores, jornalistas e os dirigentes do mundo será o comportamento extraordinário do povo brasileiro. O tratamento que esse povo dará, estejam certos, marcará a história das Copas do Mundo", disse Lula. "O fato de o Brasil ter sido escolhido é motivo de muita alegria, de muita festa, sobretudo por saber que voltaremos pra casa com muito mais responsabilidades sobre nossas costas do que quando chegamos", reforça o presidente. "É uma grande responsabilidade, que assumimos como nação, para provar ao mundo que somos um país estruturado, em crescimento, com muitos problemas, sim, mas com homens determinados a resolvê-los", acrescenta. Lula disse ainda que para os brasileiros o futebol é mais que um esporte, "é uma paixão nacional", por isso se mostrou convencido de que em 2014 todo o mundo poderá ver "o comportamento extraordinário do povo brasileiro". A Comissão de Inspeção da Fifa que visitou o Brasil no fim de agosto afirmou, em seu relatório oficial, que o país tem condições de "organizar uma Copa do Mundo excepcional", mas os críticos ao projeto asseguram que para cumprir as exigências da entidade será preciso um gasto muito alto. A delegação do Brasil que viajou a Zurique foi formada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, a ministra do Turismo, Marta Suplicy, e o ministro de Esportes, Orlando Silva. Também estiveram presentes os governadores Eduardo Braga (Amazonas), Alcides Rodrigues (Goiás), Ana Júlia Carepa (Pará), José Serra (São Paulo), Sergio Cabral (Rio de Janeiro), Aécio Neves (Minas Gerais), Binho Marques (Acre), José Roberto Arruda (Distrito Federal), Jacques Wagner (Bahia), Cid Gomes (Ceará), Blairo Maggi (Mato Grosso) e Eduardo Campos (Pernambuco). O país também foi representado pelo escritor Paulo Coelho e o atacante Romário, que garantiu que o país saberá responder aos críticos do Mundial.Atualizado às 18h57 para acréscimo de informação

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014seleção brasileiraLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.