Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Lula faz campanha por retorno de Ronaldo à seleção

Presidente afirma que seria extraordinário ver novamente o Fenômeno com a camisa do Brasil

Clarissa Oliveira, Agencia Estado

28 de abril de 2009 | 17h49

Sem disfarçar o entusiasmo com a vitória do Corinthians sobre o Santos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não resistiu e pediu nesta terça-feira que o técnico Dunga convoque novamente Ronaldo para a seleção brasileira. "O fofão está comendo a bola", disse Lula, que arrancou risos dos jornalistas que o aguardavam na saída do hotel em que se hospedou em Manaus.

Veja também:

linkCorinthians poupa apenas Jorge Henrique contra o Atlético-PR

link'Sou o homem mais feliz do mundo', afirma Ronaldo

forum VOTE - Qual time vai ser o campeão paulista de 2009?

Copa do Brasil - tabela Calendário / Resultados

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Acho que, se ele voltasse para a seleção brasileira, seria extraordinário", disse o presidente. Para Lula, o único problema de uma possível convocação seria do Corinthians, que ficaria sem o jogador enquanto ele estivesse na equipe comandada por Dunga.

Colocando-se definitivamente no papel de fã do jogador - a quem se refere corriqueiramente como "Ronaldão" -, Lula disse considerá-lo um "exemplo de vida". "Esta recuperação do Ronaldo, para mim, é uma coisa alegre, pela perseverança. Eu admiro as pessoas que não desistem nunca", afirmou.

O presidente acrescentou que Ronaldo foi à luta, apesar das críticas, e agora colhe o que plantou. "Depois de tudo o que aconteceu na vida dele, depois de todo mundo achar que ele tinha terminado, depois de a imprensa mostrá-lo com a barriga grande, ele voltar, fazer um sacrifício, se recuperar e fazer o que está fazendo acho que é motivo de orgulho para nós brasileiros."

Questionado pelos jornalistas, Lula avisou que não tem planos de ir ao Pacaembu no domingo contra o Santos, na segunda partida da final do Campeonato Paulista. "Como presidente da República não posso. Apesar de a torcida corintiana ser maioria, já que o jogo é no Pacaembu, tenho de respeitar a torcida do Santos e o Santos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.