Lula lança Timemania e cobra dirigentes

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou hoje, no Palácio do Planalto, uma loteria que destinará 46% da arrecadação para, num primeiro momento, quitar dívidas de clubes com o INSS, o FGTS e a Receita Federal, que soma um total de R$ 900 milhões. A Caixa Econômica Federal estima que em seis meses colocará à venda as cartelas da Timemania, que custará R$ 1. A nova loteria será semelhante à Mega Sena, mas em vez de números o apostador escolherá escudos de 80 clubes das três séries do campeonato brasileiro. Foram convidados para a cerimônia no Planalto diversos dirigentes esportivos que foram alvos das comissões parlamentares de inquérito do Senado e da Câmara que investigaram, em 2000, desvios de dinheiro no esporte, como o presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Ricardo Teixeira, e o presidente do Clube dos 13, Fábio Koff. Também estavam presente o presidente do Brasiliense, Luiz Estevão, senador cassado por suposta participação no desvio de dinheiro do TRT de São Paulo. O ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, que atuou como presidente da CPI da CBF-Nike na Câmara, evitou discursar e dar entrevista. Em discurso, Lula cobrou um comportamento profissional dos dirigentes e pediu que os atletas deixem de lado a "malandragem" na busca da vitória. Na avaliação do presidente, os jogadores são exemplos para a juventude. Lula disse sentir inveja de clubes europeus, como o Barcelona, pela organização e número de associados. "Nós precisamos levar em conta que nossos clubes deixaram de despertar a paixão das torcidas", afirmou. Lula pediu que os clubes evitem chegar ao ponto de os times terem de jogar com os portões fechados, referindo-se às punições pelo comportamento irregular das torcidas. "Fico pensando como seria fazer um comício sem ninguém para me ouvir", disse. "O jogador é um artista, que reage de acordo com vaias e aplausos." PACOTE - O governo também decidiu enviar ao Congresso um projeto de lei, com urgência, propondo um pacote de ações para proteger o clube formador de atletas. A proposta classificará como clube formador as entidades que garantirem aos jovens educação, treinamento nas categorias de base e estágios profissionalizantes. O projeto prevê também compensações aos clubes nas transferências dos atletas para outras entidades. Ainda no discurso, o presidente agradeceu a Ricardo Teixeira pela realização do jogo, no ano passado, entre Brasil e Haiti e pediu que a Seleção jogue agora com a equipe da Guiné-Bissau, país africano que visitou no mês passado. "É só atravessar o Atlântico, dá para eu e você ir a nado com nosso porte físico", brincou. Durante o discurso, Lula disse que os dirigentes do futebol devem atuar como empresários, pois os clubes têm condições de gerar renda e emprego. Ele citou o Botafogo, clube que revelou grandes ídolos como Garrincha, Quarentinha, Nilton Santos e Jairzinho. "O Botafogo é um daqueles times que não têm uma torcida igual à do Flamengo e do Vasco, mas todo mundo tem simpatia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.