Lusa aponta culpados pela derrota

Achar um culpado pela derrota de quarta-feira para o Náutico, por 2 a 1, não foi um problema tão difícil para a Portuguesa. Aliás, o técnico Giba e os jogadores do clube enumeraram uma série de fatores para o resultado negativo: a saída do atacante Jonhson ainda no primeiro tempo, a expulsão do zagueiro Émerson, a falta de atenção e, como não poderia deixar de acontecer, a arbitragem. ?Aconteceu tudo ao contrário para a Lusa?, resumiu Giba. ?Estávamos com um time bem montado e com a contusão do Jonhson eu precisei mudar o time, colocando o Celsinho?, afirmou. ?E após a expulsão do Émerson o time acabou ficando descaracterizado?, confessou o treinador, sem tirar o mérito do adversário. ?O time deles é muito bom e mereceu a vitória.? A contusão do atacante angolano, que saiu de campo aos 21 minutos reclamando de dores na região da costela, prejudicou muito o esquema montado por Giba. E um dos que mais sentiram a ausência do atacante foi Cléber. ?Acabamos perdendo a referência no ataque?, disse. ?Acabamos ficando eu e o Celsinho no meio, sendo que o Leandro (Amaral) também volta bastante. Ficou difícil.? Com a derrota, a Portuguesa perdeu a chance de assumir a liderança do Grupo B. Mas continua com boas chances de se classificar para o quadrangular final da Série B. ?É lógico que ficamos preocupados, mas ainda não dá para ficar desesperado?, confessou Gléguer. ?Ainda dependemos só de nós para conseguir uma vaga?, disse o goleiro, que não poupou a atuação da arbitragem. ?Na hora do primeiro gol houve falta em mim. Fizeram ?cama-de-gato?, por isso não consegui pegar a bola?, reclamou. O próximo jogo da Lusa será sábado, contra o Marília, novamente no Canindé. Os dois times estão com 6 pontos, mas a Portuguesa tem saldo de gols maior (-1 a -2).

Agencia Estado,

06 de outubro de 2005 | 19h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.