Lusa até vira, mas perde para o Gama

Com vários desfalques, a Portuguesa sofreu sua segunda derrota seguida no Campeonato Brasileiro da Série B, nesta terça-feira à noite, contra o Gama por 3 a 2, no Estádio Bezerrão, na cidade satélite de Gama, no Distrito Federal. O time da casa vinha de três derrotas seguidas e um novo tropeço poderia derrubar o técnico Caio Júnior. Mas ele foi salvo pela grande atuação do veterano Maia, autor de dois gols, um deles de pênalti.Esta foi a segunda vitória em cinco jogos do Gama sob o comando de Caio Júnior. O time, agora, soma 10 pontos, deixando temporariamente a lanterna para ocupar a 15.ª posição. A Lusa continua com 14 pontos, agora em quinto lugar.Maia deixou o campo como herói, depois de ser cobrado no primeiro tempo pela pequena e exigente torcida do Gama. Mas nada pareceu lhe meter medo: "No futebol o que vale é a vitória e para um atacante o que conta são os gols". Resumiu bem o atacante, que com seis gols é vice-artilheiro da competição, um atrás de Kuki, do Náutico. Caio Júnior também estava contente no final do jogo: "Tenho certeza de que vamos ainda brigar pela classificação. Este jogo foi o divisor de águas".O prenúncio de um jogo com muitos gols foi confirmado com três gols rápidos, o primeiro deles marcado por Tico Mineiro no minuto inicial. Após a cobrança de falta de Rodriguinho, a bola bateu na trave direita de Gléguer e sobrou para o complemento do atacante. Mas sem muito esforço , a Portuguesa virou o jogo. Aos sete minutos, após jogada do lado esquerdo do ataque, a bola sobrou na pequena área para o chute de Leonardo: 1 a 1. O segundo gol da Lusa aconteceu aos 14 minutos, num lance parecido, mas completado por Michel, um meia improvisado como atacante.O time local desceu para os vestiários sob os protestos da torcida. Depois voltou mudado sem o zagueiro Thiago Júnio e a entrada do meia Márcio Luiz. Assim, o Gama ganhou força ofensiva e criou duas boas chances, antes de Gléguer cometer pênalti sobre Tico Mineiro, com uma rasteira. Maia cobrou, em dois tempos, no meio do gol, enganando Gléguer que caiu no canto direito. A comemoração foi tão intensa que todo o banco do Gama invadiu o gramado, o que resultou na expulsão de Wesley, um dos reservas.A Portuguesa continuava acuada, sem saída para o ataque e correndo o risco de sofrer outro gol. Ele não demorou a sair: aos 28 minutos, Maia foi lançado em velocidade, invadiu a área, esperou o goleiro cair e tocou por cima. A Lusa tentou ir ao ataque, mas não conseguiu o empate. Agora terá que buscar a reabilitação contra o Criciúma, dia 21, no Canindé. O Gama jogará em casa, de novo, no dia 25, contra o União Barbarense, ambos pela décima rodada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.