Lusa bate invicto e fica fora de perigo

A expressão desesperada do diretor de futebol da Portuguesa, Fernando Gomes, nas tribunas no Pacaembu, pedindo aos berros para o árbitro acabar o jogo foi o retrato mais fiel do sofrimento dos torcedores da Lusa nesta quinta-feira na partida com o São Paulo. Ele estava emocionado, mas com os nervos à flor da pele. O clube do seu coração saía pela primeira vez desde o início do Campeonato Paulista da zona de rebaixamento. Só respirou aliviado com o apito final. "Foi sofrido, mas conseguimos sair da zona de descenso", dizia, entre um abraço e outro nos amigos, apoiado numa cerca para não cair.Tamanha emoção também tomou conta dos jogadores do time, que aproveitaram o feito (a primeira derrota do São Paulo na temporada) para detonar o comportamento dos que achavam que havia somente um objetivo em campo: a conquista do título tricolor. O zagueiro Sílvio Criciúma foi quem mais falou. "As pessoas ficaram falando a semana toda que o São Paulo seria campeão, mas se esqueceram que do outro lado havia uma Portuguesa tentando escapar da zona de rebaixamento. O São Paulo teve ansiedade para ficar com o título, que até acho que vai ganhar, mas não soube jogar. Nós tiramos proveito disso", desabafou.Até o atacante Washington, autor dos dois gols da Lusa, recém-chegado a São Paulo vindo do Rio, também aproveitou o momento para desdenhar da situação do adversário. "Fizemos a torcida do Tricolor ficar quieta e esperar um pouco mais para ganhar o caneco", disparou. O jogador fez nesta quinta-feira a sua quinta partida no campeonato e tem a boa marca de seis gols. Mas com o cartão amarelo recebido nesta quinta-feira, estará fora da partida com o Mogi Mirim, no Canindé. O meia Cléber, também suspenso, não joga no fim de semana.O goleiro Gléguer estava eufórico com a façanha do seu time no Pacaembu. Em 90 minutos bem jogados, viu a Portuguesa obter duas conquistas: a saída da zona de descenso e o mérito de ter sido o primeiro a derrotar o São Paulo no torneio. "Não digo que fiz uma excelente partida, mas sei que ajudei a Portuguesa a conquistar os três pontos acima de tudo", comentou.Foi modesto. Sobretudo no segundo tempo, o goleiro fez pelo menos duas defesas de valer o ingresso para o torcedor do Canindé. Saiu de campo satisfeito com seu trabalho. "Este grupo está mesmo disposto a tirar a Portuguesa da Segunda Divisão." O elenco fez questão ainda de ressaltar o trabalho de uma semana do técnico Giba. "Ele assumiu a responsabilidade do time e nos fez acreditar", disse Cléber. Giba retribuiu: "O elenco fez o que pedi. Assim se faz um time."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.