Lusa: Cristián é o "Canhão dos Andes"

A Portuguesa, assim como o Palmeiras, também importou um Chritian, aliás, Cristián, para reforçar a equipe que disputa o Torneio Rio-São Paulo. O meia chileno Cristián Uribe fez hoje seu primeiro treino pela Lusa e ao contrário do quase xará - que teve uma fria recepção em sua chegada no Alviverde - foi muito bem recebido pelos companheiros de equipe no Canindé. Bastou apenas um chute forte contra o gol de Bosco no primeiro treino na Portuguesa para o meia ganhar seu apelido - uma tradição entre os jogadores que passam pelo clube. "É o ?Canhão dos Andes?", disse o meia Evandro ?Chaveirinho?, considerado o responsável oficial pelos apelidos na equipe. O jogador - que passou pelo Benfica, de Portugal, Colo Colo, do Chile, e estava na equipe Huachipato também chilena- , ainda está se adaptando ao novo país e aos novos companheiros. "Acredito que em uma semana já poderei estar acompanhando o restante do grupo", avaliou o meia que já avisou que gosta de cobrar faltas. Um fato porém, deixou Uribe preocupado. O jogador não sabia que, a princípio, sua vaga seria ocupada por Esquerdinha, que não ficou na Lusa por problemas entre a diretoria do clube e a do São Caetano. "Ele foi convocado para a seleção? Puxa!", exclamou o meia. "Bem, pressão existe em toda equipe e acho que não terei problemas para lidar com isso aqui", avaliou. O técnico Candinho também se apressou em diminuir a responsabilidade de Uribe. "Ele vai precisar de um tempo para se adaptar ao futebol brasileiro. Isso aconteceu com outros jogadores estrangeiros como o Arce, que levou um tempo para jogar bem no Grêmio e o Rivarola", avaliou o treinador.

Agencia Estado,

23 de janeiro de 2002 | 19h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.