Lusa de Candinho tem vitória heróica

A Portuguesa conseguiu uma vitória heróica hoje, na festa de estréia do técnico Candinho no comando da equipe. Superou a chuva, o fato de atuar com um jogador a menos o segundo tempo todo - Sandro Fonseca foi expulso - e o forte Rio Branco. Com os 4 a 3, chegou à quinta posição do Paulista, com 18 pontos. Ao pisar em campo, o treinador foi saudado com palmas e uma grande queima de fogos. "Apesar de estar habituado à Lusa, fiquei bastante emocionado." Por superstição vestia uma calça azul-marinho e camisa azul-claro. Roupa que sempre lhe deu sorte nas outras quatro passagens pelo time. Começa o jogo e o comportamento de Candinho é diferente. Costuma ser tranqüilo e assistir ao jogo sentado. Hoje, não. Ficou o tempo todo em pé, orientando o time e até como gandula trabalhou. Para agilizar as jogadas, pegava a bola e devolvia a seus jogadores, ora em cobranças de faltas, ora em laterais. A torcida ia ao delírio, ovacionando o treinador. Dentro de campo o público assistia a uma partida equilibrada, bastante disputada. Com a volta de Émerson e Élson, o time do Canindé demonstrava maior estabilidade em campo. O atacante Ricardo Oliveira vai logo dando as "boas vindas" ao Rio Branco. Duas oportunidades criadas em 7 minutos. Prenúncio de uma grande apresentação. O Rio Branco não se intimida e manda seu recado, com Marcus Vinícius, cara-a-cara. Carlos Germano salva. A torcida fazia festa, incentivando os atletas. Aos 39 minutos, Ricardo chega à linha de fundo e cruza para Lúcio. O goleiro defende, mas sai jogando errado. Marquinhos agradece e serve Ricardo. Este acerta um chute forte, no ângulo: 1 a 0. Candinho vai para o intervalo tranqüilo. Espera o Rio Branco voltar, estoura os 15 minutos que a equipe tem direito. Sabendo de uma alteração no adversário, entra em campo para uma última orientação. O segundo tempo começa debaixo de uma tempestade e com sofrimento para os lusos. Sandro Fonseca é expulso com apenas 3 minutos. O Rio Branco cresce e empata. Émerson recua errado, Sergio Lobo dribla Germano e chuta. A bola bate na trave e Marcus Vinícius empata. O duelo ganha em emoção. Aos 15 minutos, Élson marca o segundo, após rebote do goleiro. Não deu nem para comemorar. Um minuto depois, Maxsandro, de cabeça, empata. Aos 18, Ricardo coloca a Lusa, novamente, em vantagem. Candinho coloca Souza para conter o adversário. Não consegue. De pênalti, aos 31, Rafael empata. A Lusa não desiste. O juiz aponta quatro minutos de acréscimos. Vai ao ataque e chega ao objetivo aos 50 minutos. Ricardo sofre pênalti. Mancini pega a bola, com personalidade, e garante a vitória. Sai de campo como herói e Candinho, mais uma vez, mostra ter estrela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.