Lusa, graças a Cléber, empata com líder

O meia Cléber fez nesta sexta-feira o Canindé explodir de alegria, ao marcar o gol de empate da Portuguesa por 1 a 1 com o Santo André, de falta, aos 42 do segundo tempo. O duelo pôs frente a frente o líder e o vice-líder da Série B do Campeonato Brasileiro. A Lusa segue sem perder em casa e o time do ABC está invicto. As duas equipes continuam na ponta da tabela, separadas por um ponto: 15 contra 14.Os donos da casa começaram mais perigosos, embora não conseguissem reeditar a mesma força ofensiva das últimas partidas. Sem o apoio dos laterais, o time ficou refém da inspiração de Cléber. O meia, no entanto, esteve bem marcado. Fabrício também tentou levar a Lusa para frente, com jogadas de habilidade e de muita velocidade. Foi pouco.Com a bola nos pés e mais bem distribuído em campo, o Santo André teve as melhores chances de gol. Denni, o 10 do time, infernizou a zaga. Movimentou-se muito e arrastou a marcação.O técnico Sérgio Soares pediu para que seus jogadores não dessem espaço aos atletas da Lusa. Dessa forma, o time do ABC ganhou a maioria das bolas no meio-de-campo e impediu as boas jogadas da Portuguesa. Sempre havia um marcador para atrapalhar os comandados do técnico Giba. O time se perdeu. "A marcação está dura, difícil de avançar", dizia o meia Cléber já descendo para o vestiário no intervalo. A Lusa viveu os primeiros 45 minutos iniciais de alguns arremates de seu camisa 10.O Santo André foi mais perigoso. O líder da Segundona impôs seu ritmo, mesmo sob as vaias dos torcedores. Chutou mais a gol e teve mais escanteios. Aos 22 minutos, Denni acertou um belo chute de fora da área e fez 1 a 0. A bola enganou Gléguer ao desviar em Sílvio Criciúma. Pouco depois, o atacante Sandro Gaúcho acertou uma cabeçada na trave. Gléguer nem se mexeu.A Lusa adiantou a marcação no segundo tempo. Giba tirou um volante, Alexandre, para mandar a campo o atacante Celsinho. O time melhorou. Mas estava nervoso, com seus jogadores batendo boca, principalmente na defesa. Se atacou mais, também ficou mais vulnerável aos contra-ataques. Preferiu se arriscar e foi para o abafa. E aos 42, Cléber empatou o jogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.