Lusa joga no ataque em Florianópolis

Longe de sua torcida, a Portuguesa tenta pôr fim à crise que se instalou no Canindé após os últimos maus resultados no Paulista. Buscando chegar, pela primeira vez em sua história, à Taça Libertadores da América, o time estréia nesta quarta-feira na Copa do Brasil, diante do Figueirense, às 20h30, em Florianópolis. Sabendo que o regulamento da competição estabelece a eliminação do jogo de volta, caso o time visitante vença por diferença de dois ou mais gols, Renê Simões leva a campo uma equipe ousada, com apenas um volante. "Podemos ganhar uma semana a mais para trabalhar", diz o treinador, já pensando na hipótese de não ter de enfrentar o adversário em São Paulo. Porém, não abre mão da cautela, já que a Portuguesa não vence há 38 dias. Para evitar surpresas, o treinador passou um vídeo para seus atletas com partidas do Figueirense na Copa Sul-Minas. "Além de jogarmos em um estádio apertado, enfrentaremos um adversário motivado, depois da vitória no clássico local diante do Avaí. Não podemos nos precipitar porque se trata de um jogo de 180 minutos." As finalizações da Portuguesa também estão "tirando o sono" de Renê Simões. Para corrigir o defeito, exigiu muito de seus atletas nos treinos antes do jogo. O meia Irênio tenta redimir-se da má atuação contra o Mogi Mirim, quando foi bastante hostilizado pela torcida. "Vamos nos recuperar e voltar a vencer," promete. E vai além. Indagado sobre qual o time favorito à conquista da Copa do Brasil, não hesitou na hora de responder: "A Portuguesa". A novidade no time de Renê Simões será a volta de Marquinhos no meio-de-campo, na vaga de Claudinho. No ataque, Ricardo Oliveira, que marcou gols nos últimos três jogos do time, ganhou definitivamente a vaga de titular. Cléber, mesmo recuperado de uma contusão no tornozelo, fica no banco de reservas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.