Lusa pode perder Oliveira para Europa

Dia 14 de abril de 2002 pode ser o fim do casamento entre Portuguesa e o atacante Ricardo Oliveira. Nesta data acaba a primeira fase do Torneio Rio-São Paulo e, caso a equipe do Canindé não consiga se classificar, o jogo diante do América, em São Paulo, pode ser o último pela equipe paulista. A Europa será o destino. O passe de Ricardo está fixado em US$ 8 milhões, mas deve ser negociado por uma quantia inferior. "O futebol brasileiro passa por um momento difícil e o clube que chegar com US$ 7 milhões, a Portuguesa faz negócio", revela o empresário do jogador, Hamilton Bernard. "E ninguém pode fazer nada para evitar a transação. Está tudo no papel", concluiu, deixando claro que as cotas de dinheiro foram acertadas em reunião com a diretoria da Lusa e estão registradas em documentos. "Estes números foram acertados pela diretoria antiga, mas não vamos nos manifestar", informa Manuel Gonçalves Pacheco, vice presidente de futebol do clube. "A intenção é vender, só que o momento não é propício para falarmos sobre o assunto. Estudaremos as eventuais propostas após o Torneio Rio-São Paulo e a Copa do Brasil," completou. Apesar de saber que a transação é inevitável, o dirigente ainda aposta na permanência do jogador. "Ele tem contrato de dois anos no clube." Ricardo prefere não polemizar. Porém, não consegue esconder a euforia por se transferir para o exterior. "É meu sonho. Ir para a Itália ou Espanha seria o ideal", disse. "Claro que pode ser outro país, mas aí vai depender da minha palavra. Vamos ver o time, as condições", disse. "Antes quero livrar a Portuguesa desta incômoda posição". Com 10 pontos, o time do Canindé é o pior paulista do Rio-São Paulo e corre risco de ser rebaixado para o Campeonato Paulista de 2003. Ricardo pretende, ainda, aproveitar o duelo com o time do Morumbi para chamar a atenção de outros clubes europeus. Especula-se que cinco equipes do Velho Continente estão de olho no seu futebol. "Clássico é sempre uma vitrine e se você vai bem, aparece", ressalta o atacante que, mesmo com o time oscilando na classificação, já marcou gols nesta competição diante de Vasco, Flamengo e Corinthians. E parece gostar de aprontar para os times grandes. Ano passado, Grêmio, Cruzeiro, Palmeiras e Internacional foram algumas das ?vítimas?.

Agencia Estado,

08 Março 2002 | 19h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.