Lusa propõe acordo a Ricardo Oliveira

Portuguesa e Ricardo Oliveira estão próximos de um acordo amigável. O atacante ficaria no Santos, por empréstimo, e, no meio do ano, em caso de transferência para o exterior, a Lusa receberia uma porcentagem do valor, que ainda seria dividida com o clube da Baixada. Acabariam, assim, com a ação movida na Justiça. Dirigentes da Portuguesa e o empresário do atacante, Hamilton Bernard, estão conversando. A segunda reunião será até sexta-feira. ?Demos o pontapé inicial, agora temos de chegar a um denominador comum?, disse Hamilton, referindo-se à proposta feita por dirigentes do Canindé. Segundo Jerônimo Gomes, diretor de Futebol da Lusa, o clube ficaria com 60% do valor e os outros 40 seriam do atleta. ?O Santos já está ganhando com os gols do Ricardo, caso queira alguma parcela, terá de acertar com o empresário,? afirmou Gomes. É aí que começa o imbróglio. ?Jamais vamos concordar com estas porcentagens?, revela Hamilton. O empresário enfatiza que a maior parte tem de ser do jogador e o Santos também teria boa participação, afinal, serviu de vitrine. A bela aparição de Ricardo Oliveira na Copa Libertadores, despertou o interesse de vários clubes de fora do País. Hamilton conta com 12 propostas, de clubes da Espanha, Alemanha, Itália e do Japão. E deve sair bem. A crise financeira pela qual a Lusa está passando, deve apressar o acordo. Sem acordo ? O atacante Edson Pelé, que há alguns dias fez acordo com o presidente Joaquim Alves Heleno para receber o direito de imagem atrasado em abril e maio, entrou com ação na Justiça pedindo atestado liberatório da Lusa. O Juiz negou o pedido e os advogados do atleta estão recorrendo. Já ação movida pela Sindbol, para que o clube retorne à Primeira Divisão, foi transferida da 7ª Vara, de Brasília, para a 1ª Vara, no Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.