Lusa queria mais tempo para treinar

Para o técnico da Portuguesa, Edu Marangon, o tempo que separa o time da estréia no Campeonato Brasileiro, dia 10, em Goiânia, contra o Goiás, não é o ideal para a preparação. Afinal, a chegada de alguns atletas ainda é aguardada. Por isso, decidiu que vai fazer o maior número possível de treinamentos com bola. A idéia parte do princípio de que, apenas dessa forma, vai acelerar o processo de entrosamento entre os jogadores. Paralelamente a isso, é claro, será elaborado o cronograma de condicionamento físico. A equipe segue realizando seus treinos no CT do Parque Ecológico. Mesmo com o grupo em atividade, reforços continuam chegando. O último deles foi o atacante Cléber. O jogador está emprestado ao Ceará, onde marcou 13 gols no campeonato regional, está com a volta marcada para o Canindé. Sua apresentação é aguardada para o dia 1º de agosto. ?Eu quero voltar para São Paulo e atuar na Portuguesa. O clube fez um grande investimento para me contratar e eu estou em dívida com a Lusa. Quero voltar e retribuir o esforço que os dirigentes fizeram porque acreditaram no meu futebol?, afirmou Cléber. O trabalho é considerado de longo prazo pela comissão técnica. Para Marangon, os resultados só vão aparecer em 2003. ?Não é de uma hora para outra que se monta um time competitivo?, afirmou. ?É preciso muita paciência, coerência e critério. Até juntar as peças, formar um corpo, demora um pouco. Estou certo de que no primeiro semestre do ano que vem este grupo chegará a um bom estágio."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.