Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Lusa teme jogo decisivo no Canindé

No dia 23 de março de 2003 a Portuguesa viveu, no Canindé, sua última decisão. E justamente contra o Juventus, próximo adversário do Campeonato Paulista deste ano. Mas não valia título. O duelo, vencido pela Lusa por 1 a 0, gol de Lelo, fazia parte do Torneio da Morte e livrou a equipe da humilhante repescagem do Estadual - definiria quem seria rebaixado ao lado de Inter de Limeira.Agora, quase um ano depois, os adversários fazem nova partida decisiva. O duelo, válido pela antepenúltima rodada, será um divisor de águas. O ganhador aumentará suas chances de obter uma das quatro vagas à próxima fase. O derrotado ficará bastante ameaçado de queda para a segunda divisão.E a situação da Portuguesa é bastante delicada. Por ironia, tudo pelo fato de atuar no Canindé. Enquanto os times vibram quando fazem jogos decisivos em seus domínios, atuar em casa, neste Paulista, está sendo um tormento para os jogadores e o técnico Dario Pereyra. Foram 3 partidas e apenas um ponto - derrotas para São Paulo e Atlético Sorocaba, ambas por 3 a 2, e empate com a Ponte Preta, por 1 a 1, conquistado no último minuto.Para esta ?decisão?, que acontece no próximo domingo, o técnico Dario Pereyra pode, mais uma vez, mexer na composição da equipe. O meia-atacante Rodrigo Cabral deve ser seu novo titular, na vaga de Paulo Isidoro, que continua alternando bons e maus jogos. Na defesa, Alex oliveira deve retornar, no lugar de César.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.