Lusa vibra com o fato de pagar em dia

Com menos de dois meses de parceria entre a Portuguesa e a Ability Sports & Management, empresa de marketing esportivo do Rio, os resultados estão aparecendo: os salários atrasados do elenco foram renegociados e os 15 jogadores contratados para o Campeonato Paulista têm a garantia de receber em dia. "Todos os pontos do contrato estão sendo cumpridos, estamos trabalhando com profissionais, que realmente entendem de futebol", afirmou o presidente do clube, Joaquim Alves Heleno. "Trabalhamos para resgatar a dignidade da Portuguesa, pois há vários anos não tínhamos um elenco tão bom tecnicamente." Mas a situação econômica do clube ainda está longe de ser confortável. A renda do primeiro jogo pelo Campeonato Paulista no Canindé, domingo, contra o São Paulo, deve ser confiscada por oficiais de Justiça em razão de dívidas trabalhistas, que se arrastam há anos, através de outras administrações. Um ex-jogador teria penhorado as torres de iluminação do Canindé, cobrando salários atrasados. Outros bens da Lusa também poderiam ser incluídos em ações judiciais. "No total, devemos cerca de R$ 20 milhões, o que não é muito, diante do que outros clubes têm para pagar", disse Joaquim Alves Heleno. "Reduzimos nossos gastos de R$ 32 milhões para R$ 12 milhões anuais e aos poucos colocaremos a casa em ordem", garantiu.O técnico Dario Pereyra ainda tem dúvidas em algumas posições e só definirá a escalação do time para a estréia no Paulista, contra a Portuguesa Santista, quarta-feira, no estádio Ulrico Mursa, em Santos, momentos antes do jogo. "O primeiro jogo será difícil, porque não conhecemos muito nosso adversário", reconheceu o treinador.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2004 | 19h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.