Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Lusa volta às origens e vai apostar em jovens da base para 'renascer'

Acostumado a revelar bons jogadores, clube usará meninos da base, como Luan Viana, Robinho e Nescau, para se reerguer em 2015

Fábio Hecico, O Estado de S. Paulo

29 de outubro de 2014 | 18h34

A Portuguesa voltará às suas origens para sair do buraco em 2015. Destaque no País por sempre ter em seus times bons pratas da casa, como Rodrigo Fabri, Zé Roberto, Zé Maria, Bentinho, Leandro Amaral, Dener, Ricardo Oliveira, o clube vai apostar nas categorias de base para não decepcionar no Paulista e "passar" rápido pela Série C.

Zé Augusto, técnico interino da Lusa nas últimas três rodadas e que chegou ao clube há dois meses para comandar a base após belo trabalho no Corinthians (revelou Dentinho, Lulinha e Éverton Ribeiro, por exemplo) ganhou carta branca da diretoria para apostar e já ir testando os meninos dos juniores nesta reta final de Série B. Serão cinco jogos para dar uma pequena bagagem aos futuros titulares.

O grupo de 38 jogadores foi reduzido para 26, já com os meninos entre eles. A missão de Zé Augusto será dar tranquilidade para os jovens se enturmarem na equipe.

"Estou respirando a Portuguesa, tenho aval para lançar os meninos e voz para dizer quem serve ou não. Ano que vem teremos uma base forte, com garotos mais adaptados, um pouco mais experientes. Quero manter 80% do time nestes últimos cinco jogos, para não fazermos feio em 2015", diz o treinador.

Zé Augusto estava no Grêmio Osasco no começo do ano e tinha convite para ser captador de talentos no Corinthians, onde foi técnico da base por muitos anos. No meio do caminho surgiu o convite para assumir a base da Portuguesa e ele aceitou. "Queria continuar como técnico, gosto de ensinar. Só não imaginava que teria de quebrar o galho por duas vezes no time principal", conta. Primeiro, ele assumiu após a saída de Silas. Agora, com a rescisão de Vagner Benazzi.

"Infelizmente já assumimos um time derrubado, com jogadores cabisbaixos, ainda mais sem receber salários. E não tivemos tempo para nada. Ano que vem vamos começar do zero."

Acostumado a ganhar títulos com garotos da base, Zé Augusto já começou a dar a cara da nova Lusa na derrota para o Oeste, por 3 a 0, que culminou com a queda à Série C. Neste jogo, já deu oportunidade para alguns jovens jogar por alguns minutos,

O tempo no campo, de agora em diante, será maior, e quem se sobressair, ganhará ainda mais espaço para 2015. Por enquanto, cinco jogadores estão na fase de testes. Três deles com 20 anos e outros dois com 18. Os futuros Dener, Bentinho ou Zé Roberto mostrarão seu cartão de visitas no dia 8, no Canindé, quando a Lusa recebe o Luverdense.

Para o jogo da 34ª rodada, o quinteto Bruno, na lateral-direita, Nescau, meia-esquerda, além dos atacantes Jussa, Luan Viana e Marcelinho, apelidado de Robinho, estará em campo.

"A Portuguesa quer ter um grupo forte para não correr o risco de rebaixamento no Paulistão e, depois, para subir na Série C. Eles querem ficar lá apenas uma temporada." Rodrigo Fabri, diretor de futebol e formado no clube, está dando bastante respaldo para Zé Augusto. E também para os meninos.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie BPortuguesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.