Luxemburgo acha o culpado: o juiz

O treinador Vanderlei Luxemburgo colocou a culpa pela desclassificação do Palmeiras do Supercampeonato Paulista na arbitragem de Sálvio Spinola Filho. "Ele deixou de marcar uma falta clara sobre o Pedro no início do segundo tempo, e este lance resultou no primeiro gol do São Paulo. Não sei mais o que falar, mas parece que existe um complô da Federação Paulista de Futebol contra nós." Citando que a repetição de arbitragens prejudiciais a seu clube estão se tornando frequentes, Luxemburgo lembrou que Sálvio Spinola Filho já havia prejudicado o Palmeiras na vitória por 3 a 2 sobre o Guarani no Torneio Rio-São Paulo. "Não sei se é coisa da Federação Paulista, mas é inaceitável trabalhar assim. No intervalo, realizei três alterações audaciosas (saíram do time Tadei, Célio e Lopes para as entradas de Nenê, Fabiano Eller e Munhóz), mas tudo foi por água abaixo. O pior é que eu não posso falar pois corro o risco de ser expulso de campo. Algum problema tem. Conseguimos fazer dois gols, mas fomos prejudicados?, afirmou o treinador do Palmeiras. Luxemburgo também mostrou novamente o seu descontentamento com a diretoria do Palmeiras. "Eu não posso mais assumir a culpa e tomar as dores por situações como a desta quarta-feira sozinho." Luxemburgo também criticou o poder dos árbitros no futebol atual. "É uma coisa difícil de entender, mas os árbitros estão premeditados. Não acredito que o presidente Farah possa estar articulando alguma coisa nos bastidores. Também não acredito que estejamos sendo prejudicados por alguma desavença política que possa existir entre Farah e o presidente Mustafá Contursi?, disse. "Temos que descobrir a origem dessas arbitragens ruins. O clube não pode ser prejudicado", lamentou. O treinador disse que mesmo com a desclassificação elogiou os seus jogadores. "Eles tiveram brio para correr atrás do resultado mesmo estando duas vezes atrás do marcador." A torcida também não poupou a diretoria. Críticas contra o presidente Mustafá Contursi e o diretor Sebastião Lapola foram uma constante. Mas as palavras do goleiro Sérgio talvez tenham representado a real situação do Palmeiras no momento. O jogador lamentou a falta de garra, especialmente no primeiro tempo. "As chances apareceram e tínhamos de mostrar mais determinação por se tratar de uma fase final. Eu cobrei o time várias vezes." O estreante Nenê não mostrava-se muito satisfeito. "Valeu pelo gol que marquei, mas estou muito triste pela desclassificação. Sempre é muito ruim sair de um campeonato importante." O atacante procurou evitar falar em crise, citando que a Copa dos Campeões no segundo semestre poderá levar o Palmeiras à Libertadores. "Não nos resta outra alternativa, mas temos que treinar muito." Nenê foi bastante elogiado por Luxemburgo. "Eu pedi no intervalo para ele jogar de ala, e ele me disse que iria para o pau. No jogo deu para tirar algumas coisas positivas. A reformulação será feita, mas as nossas carências serão resolvidas internamente", disse o treinador. Nos próximos dias uma reunião será realizada entre o diretor de futebol Sebastião Lapola e a comissão técnica do Palmeiras. ?Para o segundo semestre haverá uma reciclagem. Alguns atletas que não fazem parte dos planos serão envolvidos em negociações", comentou Lapola.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.