Luxemburgo: advogado critica devassa

O advogado Michel Assef, que defende o técnico do Corinthians Wanderley Luxemburgo, ficou surpreso com a notícia de que o procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, pediu a instauração de um inquérito policial para investigar o treinador. Assef fez a afirmação ao lembrar que já há um processo para apurar o assunto na Justiça Federal do Rio. "O Wanderley até já foi interrogado nesse processo", lembrou.O treinador está respondendo, judicialmente, por sonegação fiscal, mesmo crime que Brindeiro deseja que o treinador seja investigado. "Em setembro, houve uma denúncia do Ministério Público, o que transformou o inquérito em processo", recorda Assef. No momento, o processo está na fase de sumário. A pena por sonegação é de dois a cinco anos de prisão.Assef também não demonstrou preocupação de que seja feita uma devassa nas contas do treinador, como sugeriu o Brindeiro. "Todas as contas do Wanderley já foram viradas pelo avesso", afirmou o advogado. Os sigilos bancários e fiscal do treinador foram quebrados no ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.