Luxemburgo aprova Marquinhos na zaga

O zagueiro Marquinhos, de 18 anos e 1m94, confirmou na prática toda a confiança depositada pelo técnico Wanderley Luxemburgo. No coletivo de hoje ele foi um dos destaques do time titular na vitória por 3 a 0 sobre os reservas - gols de André Luiz, Marcelinho Carioca e Paulo Nunes. Praticamente insuperável nas bolas altas, Marquinhos mostrou a mesma eficiência nas antecipações, nas coberturas e nas saídas de bola. E ainda deixou uma ótima impressão fora de campo, ao agir com rara naturalidade diante dos microfones e câmeras de tevê. "Ainda não tenho a pretensão de ganhar a posição. Por enquanto, quero apenas fazer o meu trabalho e ajudar a equipe". Satisfeito com o bom desempenho de Marquinhos no coletivo, o técnico Wanderley Luxemburgo não precisou parar nenhuma vez o treinamento para corrigir o posicionamento da defesa. No fim, confirmou a escalação de Marquinhos como se estivesse falando de um veterano. Na entrevista coletiva após o coletivo, afirmou que esse tipo de tratamento é o mais recomendável a um jogador jovem diante da chance de assumir a camisa titular do Corinthians. "Não fiz nem vou fazer muitas recomendações", salientou o próprio Luxemburgo. "Se você fica falando muito na cabeça de um jogador jovem pode ser prejudicial. Ele tem apenas que fazer a dele, como ele sabe. Se não, ele enche a cabeça de coisas e pode esquecer o principal: jogar futebol". Além de Marquinhos, Luxemburgo também confirmou a escalação de Fábio Luciano na zaga, e a improvisação de André Luiz na meia-esquerda, em substituição a Ricardinho, suspenso pelo segundo cartão amarelo. André, principalmente, mereceu elogios do treinador. "No coletivo cheguei a pensar que o André fôsse ficar muito preso, mas ele se mexeu muito bem", constatou Luxemburgo. Além de uma boa movimentação defensiva, ofensivamente ele se apresentou bastante e adaptou-se bem ao nosso sistema de jogo. Fiquei satisfeito com o seu desempenho". Como de hábito, Luxemburgo paralisou o treinamento várias vezes para corrigir o posicionamento dos atacantes. Dedicou uma atenção especial às jogadas de bola parada, especialmente as próximas ao bico da grande área - pela direita e pela esquerda. Wanderley destacou sempre algum jogador encarregado de fazer o desvio na trajetória da bola. E depois de algumas repetições, Paulo Nunes acabou fazendo um gol dos titulares exatamente como a jogada foi ensaiada: Marcelinho cruzou, Marquinhos desviou de cabeça e Paulo Nunes concluiu para o fundo das redes. "As jogadas de bola parada são uma alternativa interessante de gol que nós temos trabalhado, além de outras", diz Luxemburgo. No caso específico de Marquinhos, as razões são óbvias. Com 1m94 de altura, fica bem mais fácil para ele alcançar a bola. Além disso, o seu companheiro de zaga, Fábio Luciano, também é um jogador com estatura acima da média: 1m90. "Defensiva ou ofensivamente, temos essa vantagem", constata Fábio Luciano. "Mas não é só o nosso tamanho que ajuda. Hoje a defesa está tendo muito mais proteção do meio-de-campo. Desde a chegada do Luxemburgo o time está jogando mais compactado e os zagueiros não estão ficando tão expostos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.