Marcelo Zambranna/LightPress
Marcelo Zambranna/LightPress

Para Luxemburgo, derrota do Cruzeiro fora de casa é 'normal'

Treinador prefere valorizar o gol marcado no estádio do Palmeiras

Estadão Conteúdo

20 Agosto 2015 | 10h10

Vanderlei Luxemburgo avaliou como "normal" a derrota do Cruzeiro para o Palmeiras, por 2 a 1, na noite de quarta-feira, no Allianz Parque. Sem se abalar com o resultado negativo, o treinador preferiu valorizar o gol marcado fora de casa, que é critério de desempate nesta fase da Copa do Brasil. Se o time mineiro vencer por 1 a 0 no jogo da volta, no Mineirão, garante vaga nas quartas de final.

"O resultado é fruto daquilo que você apresenta. Se nós tivéssemos feito um grande jogo poderíamos ter saído com a vitória ou o empate que era o importante, mas o resultado é fruto daquilo que você apresenta", comentou o técnico. "É um jogo de 180 minutos e temos totais condições de virar em casa, precisamos fazer o gol, o resultado foi coisa normal de jogo."

Para Luxemburgo, o Cruzeiro vem crescendo nas últimas semanas e a atitude demonstrada pela equipe comprova a nova fase. "A equipe jogou aqui como personalidade, jogou como Cruzeiro, com atitude. Leandro Damião foi uma prova disto, jogou com determinação. Ele tem treinado bastante e vocês [jornalistas] são prova disso. As coisas vêm acontecendo, agora na Copa do Brasil", afirmou, referindo-se ao autor do gol cruzeirense em São Paulo.

Depois da estreia na Copa do Brasil, o Cruzeiro não voltará para Belo Horizonte. O time vai se concentrar em Atibaia, interior de São Paulo, visando o duelo com o Corinthians, domingo, no Itaquerão, pelo Campeonato Brasileiro. Só voltará para a capital mineira para o duelo da volta com o Palmeiras.

"Vamos para Atibaia porque voltar para Belo Horizonte, para o jogo do final de semana, é complicado. Vamos ficar aqui porque Atibaia é um local que podemos descansar. Quero aproveitar e convocar o torcedor porque é um jogo de Copa e não terminou ainda. O torcedor tem que abraçar o time", convocou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.