Williams Aguiar / Sport Clube do Recife
Williams Aguiar / Sport Clube do Recife

Luxemburgo celebra fim do jejum no Sport e admite que deu um 'remédio doído'

Técnico avaliou que time pernambucano precisa ter cautela no jogo da volta, contra a Ponte Preta

Estadão Conteúdo

14 de setembro de 2017 | 10h04

Depois de criticar duramente os seus jogadores ao ser goleado pelo Grêmio há cerca de dez dias, por 5 a 0, pelo Campeonato Brasileiro, o técnico Vanderlei Luxemburgo comemorou o fim do jejum de seis partidas sem vitória do Sport ao derrotar a Ponte Preta na noite desta quarta-feira, por 3 a 1, na Ilha do Retiro, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana.

Luxemburgo reconheceu que a crítica foi pesada, mas avaliou que surtiu efeito. "Às vezes o remédio é um pouco doído, mas tem que dar o remédio, tem que fazer alguma coisa. Em momento algum falei que ia tirar jogador, trocar jogador, falei que queria que meu time mudasse de atitude e eles mostraram no jogo o que eles podem dar", comentou o treinador, que renovou seu contrato até o fim de 2018 após a goleada sofrida para o Grêmio.

Apesar de satisfeito com o resultado, Luxemburgo ponderou que a classificação não está decidida. E pediu o Sport cauteloso para o jogo da volta, na próxima quarta-feira, em Campinas. "Vantagem se adquire, mas tem que jogar os 180 minutos".

Sobre a escalação da equipe, que teve Sander na lateral esquerda e Mena atuando um pouco mais adiantado, o treinador avisou que pode repeti-la no domingo, contra o Flamengo, no Luso-Brasileiro, pelo Campeonato Brasileiro. "Cada jogo é uma história. É algo que pode ser feito", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.