Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Luxemburgo celebra vitória do Grêmio, mas ainda cobra evolução

Após derrota na estreia da Libertadores, time gaúcho venceu o Fluminense no Engenhão

AE, Agência Estado

21 de fevereiro de 2013 | 09h25

RIO - Depois de ser surpreendido em casa na estreia da Libertadores e perder para o Huachipato, por 2 a 1, o Grêmio se recuperou e, na última quarta-feira, atropelou o Fluminense no Rio, por 3 a 0. O resultado tirou a equipe da lanterna do Grupo 8 e a levou à liderança, graças ao saldo de gols. Para o técnico Vanderlei Luxemburgo, no entanto, ainda é preciso melhorar.

"Foi a vitória de uma equipe que tem tudo pra crescer, mas que não fluiu como poderia no último jogo. As críticas vieram e nós trabalhamos bastante para evoluir. No jogo passado, não estávamos eliminados. Hoje, não estamos classificados. Só vamos saber se estamos classificados ou não daqui quatro jogos", comentou.

Com diversos nomes contratados para esta Libertadores, como Dida, Cris, André Santos, Adriano, Vargas e Barcos, o treinador ainda vê a necessidade de este grande elenco se transformar em uma equipe. De acordo com ele, no entanto, isso só acontecerá com o entrosamento adquirido pela sequência de jogos.

"Ainda buscamos ser um time. Temos um elenco de muito valor, com jogadores de muita qualidade. Mas tem muito jogador que está há uma semana no time. Temos um grande elenco e automaticamente, com isso, vamos ter um grande time", garantiu.

Entre esses grandes jogadores, Luxemburgo exaltou o atacante Barcos, que participou dos três gols gremistas na última quarta, mesmo realizando uma função diferente da que se espera dele. O argentino deixou a área em diversas oportunidades para buscar jogo no meio e abrir espaço para seus companheiros.

"O Barcos consegue segurar a bola, buscar no meio de campo, tem muita qualidade no passe. Se você tem um atacante de velocidade, pode tirar proveito disso. Já tinha analisado ele desta forma", avaliou Luxemburgo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.