Luxemburgo cobra e assusta jogadores em primeira reunião

'Ele apavorou alguns jogadores que nunca trabalharam com ele', diz o lateral-esquerdo Leandro

Robson Morelli, Jornal da Tarde

04 de janeiro de 2008 | 19h13

O jeito 'paz e amor' de Caio Júnior não existe mais no Palmeiras. Na primeira conversa do técnico Vanderlei Luxemburgo com o grupo, ficou claro que o time será mais 'nervoso' em 2008 do que foi na temporada passada. "Ele apavorou no vestiário alguns jogadores que nunca trabalharam com ele e não conhecem seu jeito", contou o lateral-esquerdo Leandro, com sorriso maroto no rosto. "O Luxemburgo 'chegou chegando'. Disse que jogador que não tiver espírito de vencedor e não tiver na cabeça que a nossa primeira obrigação é ganhar o Campeonato Paulista pode pedir para ir embora. Vai ter cobrança. Ele quer o Paulistão."   Veja também:  Palmeiras contrata lateral-direito Elder Granja  Assista - Palmeiras retorna aos treinos com Alex Mineiro Leandro diz que Palmeiras terá 'espírito de campeão'   Leandro está tranqüilo. É um dos poucos do elenco palmeirense que já trabalhou com Luxa, e só tem elogios para fazer do trabalho do novo chefe. "Tive com ele a melhor fase da minha carreira. Trabalhamos juntos no Cruzeiro e fomos campeões brasileiros, da Copa do Brasil e estadual. Ele sabe explorar as qualidades dos atletas."   Os projetos de Luxemburgo são ambiciosos. Quer acabar com o jejum de títulos do Palmeiras - a Libertadores de 99 foi a última grande conquista - e fazer o time voltar a freqüentar o cenário sul-americano. Tem como missão formar um time competitivo e fazer render os R$ 40 milhões do fundo de investimentos da Traffic. "Isso implica em contratar certo e bem", comenta.   O Palmeiras começa a temporada com ótimas perspectivas financeiras. Tem nas mãos o contrato de patrocínio da Fiat, que renderá ao clube R$ 8,5 milhões por ano, e mais R$ 7 milhões para as categorias de base a partir do segundo ano de contrato, além de premiação extra de R$ 1,5 milhões a cada título conquistado. Há ainda para entrar nos cofres verdes cerca de R$ 3 milhões pelo patrocínio nas mangas das camisas - a Suvinil está bem perto de comprar esse espaço, mas há outras empresas interessadas.   Para fazer valer toda a confiança depositada nele e em sua comissão, Luxemburgo quer um Palmeiras vibrante, com pegada e afinado. Para Leandro, o meia Alex, do Fenerbahce, ainda é a melhor obra de arte do técnico Luxemburgo. "Como jogou o Alex em suas mãos! É verdade que ele também foi muito bem com o Felipão, mas com o Luxemburgo ele foi demais", disse.   Com a base montada do ano passado e as contratações de Alex Mineiro e Elder Granja, o Palmeiras ganha em qualidade técnica. A diretoria ainda trabalha insistentemente na contratação do meia Diego Souza, cujo contrato com o Grêmio terminou dia 31. O clube gaúcho não chegou nos 4 milhões de euros (R$ 10,4 milhões) que o Benfica, de Portugal, pede. O Palmeiras já ofereceu 3 milhões de euros (R$ 7,8 milhões) e tenta fazer uma combinação para ter o atleta no Palestra Itália. Luxa sabe que o menino de 22 anos combinaria bem com o chileno Valdivia, o craque do time.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasPaulista A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.