Luxemburgo completa 300 jogos no comando do Palmeiras

Técnico espera comemorar marca com uma vitória nesta quarta diante do Flamengo pelo Campeonato Brasileiro

Juliano Costa, Jornal da Tarde

29 de julho de 2008 | 20h29

Pela 300ª vez em sua história, o Palmeiras vai a campo nesta quarta-feira sob o comando de Vanderlei Luxemburgo. Quis o destino que o técnico atingisse essa marca expressiva contra seu time do coração, o Flamengo, no Palestra Itália, estádio em que reina absoluto - e numa partida que vale muito para as duas equipes no Brasileirão.   Veja também:  Resultados e classificação do Brasileirão  Ouça o jogo desta quarta pela Rádio Eldorado/ESPN  Caio Júnior admite má fase, mas nega crise no Flamengo   Treinador com melhor aproveitamento de pontos na história do Palmeiras (69%), Luxemburgo é quase imbatível no Palestra Itália. Lá, ele perdeu só quatro vezes como treinador palmeirense, nenhuma este ano. No total, conquistou 88% dos pontos no estádio.   "Existe uma reciprocidade, uma empatia muito grande entre mim e o Palmeiras. É um clube que representa muito na minha carreira. Cheguei aqui jovem e ajudei a acabar com um jejum de 16 anos sem título. O Flamengo é o meu time do coração, mas foi no Palmeiras que consegui me consolidar como treinador", afirmou Luxemburgo.   Questionado sobre qual a maior diferença entre o Luxemburgo de 93, quando passou pela primeira vez pelo Palmeiras, e o de 2008, o técnico sorri. "Não ando mais com aquela camisa de seda e o cabelo é menor. Sou vovô, um vovô light. Não chuto mais o balde como antes", admitiu.   Agora, de terno italiano e relógio de ouro, ele primeiro ajeita o balde. E depois solta a bica. "É claro que sempre haverá atritos em nossas relações. Eu tenho meus interesses, vocês têm os seus. Só não acho legal ter um pessoal aí que me persegue", afirmou Luxemburgo.   O fato de o adversário desta quarta-feira ser o Flamengo o agrada bastante. Mas que ninguém espere que Luxemburgo se assuma como torcedor palmeirense também. "Isso seria bigamia", brincou.   Até o final da tarde desta terça-feira, 18 mil dos 27 mil ingressos já haviam sido vendidos para o 300.º jogo de Luxemburgo no Palmeiras, numa partida que pode deixar o time ainda mais perto do líder Grêmio - os palmeirenses estão em sexto lugar, com 25 pontos, quatro a menos do que o primeiro colocado. A venda nesta quarta vai só até às 17h30 - ou até se esgotarem os bilhetes.   "É muito bom ver que o torcedor voltou a nos apoiar no estádio. Nesse futebol brasileiro cada vez mais nivelado, a torcida poder ser sempre um diferencial", diz Luxemburgo.   A expectativa é grande também em função da possibilidade de ser reeditado nesta quarta-feira o meio-de-campo sensação do Paulistão: Pierre, Léo Lima, Diego Souza e Valdivia. Pierre, que enfrenta um drama familiar, passou a noite concentrado com a equipe, mas só nesta quarta-feira dirá a Luxemburgo se tem ou não condições psicológicas de jogar. "É uma decisão que cabe só ao Pierre", afirmou o treinador.   O volante Pierre ainda não conseguiu superar a morte no parto de uma de suas filhas gêmeas, há dez dias. A outra continua internada na UTI do Hospital Santa Catarina. Pesando apenas 610 gramas, após seis meses de gestação, Pietra ainda não tem previsão de alta. E o pai, claro, não esconde a preocupação. "Já vivi um drama parecido e é preciso respeitar a dor do Pierre", disse Léo Lima. Assim, se ele não jogar, Sandro Silva entra na equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.