Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Luxemburgo critica atuação após time rejeitar esquema no Grêmio

Jogadores afirma que organização tática não funcionou na equipe, mas técnico não culpa 4-3-3

AE, Agência Estado

29 de março de 2013 | 11h05

A derrota por 2 a 1 para o Cruzeiro-RS, sofrida em plena Arena Grêmio, na noite da última quinta-feira, pela quarta rodada do segundo turno do Campeonato Gaúcho, acabou gerando um conflito de ideias entre jogadores do time gremista e o técnico Vanderlei Luxemburgo. Eles divergiram ao comentar o confronto que deixou o Grêmio estacionado nos nove pontos, na vice-liderança do Grupo A da Taça Farroupilha. O líder é o Passo Fundo, com dez.

Após o confronto, Barcos e Werley reclamaram da adoção do esquema com três atacantes. O jogador argentino admitiu que ficou um pouco perdido neste tipo de formação, com um armador a menos em campo, enquanto o zagueiro apontou que a marcação no meio-campo ficou um pouco prejudicada. Zé Roberto, por sua vez, admitiu que o 4-3-3 não funcionou.

Luxemburgo, porém, negou que o esquema com três atacantes tenha provocado a surpreendente derrota para o Cruzeiro e criticou a atuação da equipe de forma contundente. "Qualquer time que jogar da forma que jogamos hoje (quinta) vai perder.

Faltou brilho, faltou uma participação mais ofensiva, faltou um comprometimento muito maior. Não posso achar que perdemos por causa de esquema. Nós perdemos porque não jogamos absolutamente nada. Neste cerca de um ano e meio que estou aqui, talvez este tenha sido o pior jogo que nós fizemos jogando em casa", disse o treinador.

E o comandante ainda deixou claro que pretende seguir utilizando o esquema com três atacantes, que deverá ser mantido para o confronto deste domingo, contra o Passo Fundo, fora de casa, pelo Campeonato Gaúcho. "É claro que posso me basear na opinião dos jogadores, mas se a gente tivesse ganho, eles estariam falando outras coisas. Vou testar (o esquema) até quando eu achar necessário", avisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.