Luxemburgo 'culpa' força do São Paulo por derrota do Flamengo

O técnico Vanderlei Luxemburgo preferiu valorizar a qualidade do São Paulo para justificar a derrota do Flamengo por 2 a 1, no último domingo, no Morumbi, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Assim, garantiu ter aprovado a atuação da sua equipe, mesmo com o revés.

Estadão Conteúdo

11 de maio de 2015 | 08h49

"No Brasil é complicado. Se perdeu, vai analisar as coisas ruins, mas esquece o que tem de bom o adversário. Tivemos uma atuação boa em função das mudanças que tivemos. O meio não tinha jogado junto. Eu queria o que o time teve hoje. Vi coisas boas, mesmo na derrota", disse.

Luxemburgo destacou que Jonas, Canteros e Almir, que atuaram no meio-de-campo do Flamengo, ainda nem haviam jogado juntos. Além disso, avaliou que o Flamengo teria sorte melhor se não falhasse tanto nas finalizações diante do São Paulo.

"É o primeiro jogo, contra um time pronto, com grande elenco e que joga a Libertadores. O ataque funcionou, faltou só um pouco de clareza para finalizar. Almir, Canteros e Jonas nem jogaram ainda. Difícil falar que estão prontos. Jonas fez um jogo muito bom. Não quero que caracterizem o Jonas por uma jogada no estadual. Os três foram bem. Vejo uma boa perspectiva", afirmou.

Para Luxemburgo, o Flamengo conta com uma boa base, mas ainda precisa de alguns reforços para sonhar mais alto no Brasileirão. "A base está pronta. Quando está assim, você só pega uns dois jogadores para colocar. Estamos estruturados para essas contratações, que estamos buscando no mercado. A base e a estrutura estão prontas para receber esses reforços", comentou.

O Flamengo volta a entrar em campo no Brasileirão no próximo domingo, quando vai receber o Sport no Maracanã. E Luxemburgo acredita que poderá escalar um time mais forte, com o retorno de jogadores lesionados. "Terça vamos ter jogadores voltando, Samir deu uma avançada, Armero e o Paulinho também. Na semana podemos ter mais novidades para iniciar bem".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.