Luxemburgo desabafa e critica tudo

O Santos ganhou e Vanderlei Luxemburgo resolveu desabafar. Numa coletiva que pareceu um monólogo, o técnico falou por longos nove minutos. Voltou a negar o suposto acerto com o Corinthians (mas admitiu que pode deixar o Santos em 2005), e reclamou do STJD, do desmanche do time, do seqüestro da mãe de Robinho e até da Rede Globo.A impressão que deu é que Luxemburgo jogou a toalha. Ele falou como se o título agora fosse impossível. Enumerou as razões que tiraram do Santos o título de campeão. No bom português, parecia estar arranjando desculpas para algo que ainda nem aconteceu. "Sei que já tem gente achando que eu estou arrumando desculpas", começou. "Mas quem fala isso é hipócrita, pois não estou!" O desabafo do treinador começou depois que ele foi questionado sobre a maior dificuldade que encontrara nesses sete meses à frente do Santos.Essa foi a deixa para Luxemburgo soltar o verbo. Fez isso numa salinha apertada do estádio Teixeirão, seguramente a mais de 40º C e com 11 microfones à sua disposição. "O trabalho está sendo bom, apesar dos problemas que tivemos ao longo da temporada. Quando assumi, precisávamos ganhar de dois gols de diferença para seguir na Libertadores. Acabamos ganhando nos pênaltis. Depois, perdemos a base do time, com a saída de Renato, Diego e Paulo Almeida. Mesmo assim, mantivemos o equilíbrio. Depois, vieram os problemas no STJD, com a perda de mando de campo. Isso sem falar nos gols legítimos que foram anulados, e no seqüestro da mãe do Robinho. Mesmo assim, estamos disputando o título", disse. "Outra coisa que ninguém fala é que a Rede Globo cerceou o nosso direito de trabalho. Compraram os direitos de transmissão da Sul-Americana e foram cobrar do Santos. Todos sabem que é impossível, só com 25 atletas, disputar duas competições paralelas. A prova disso é que o Atlético-PR (que não disputou a Sul-Americana) está sempre voando no segundo tempo", emendou o treinador.Sobre o namoro com o Corinthians, mais discurso: "Não estou em negociação nenhuma com o Corinthians. Sei do interesse deles no meu trabalho, mas hoje estou 100% no Santos. Tenho contrato até o fim do ano e esse contrato vai ser respeitado. Tive várias ofertas excelentes para sair e não saí. Mas ficam falando isso e me expõem como mercenário, mau profissional e antiético!" E o desabafo ocorreu após boa vitória do time.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.