Luxemburgo diz que Real pode bater Juve

Vanderlei Luxemburgo tinha, há alguns meses, um grande sonho: dirigir uma equipe importante do futebol europeu. Tão grande quanto a visibilidade e a notoriedade que tem atualmente por ser o treinador do Real Madrid. Tão grande quanto a pressão pela conquista de bons resultados e títulos. Luxemburgo já sente a intensidade das cobranças e sabe que nesta quarta enfrentará a primeira decisão no Velho Continente. O Real enfrentará a Juventus, em Turim, por vaga nas quartas-de-final da Liga dos Campeões da Europa, a mais badalada competição de clubes do mundo.Se ganhar, ótimo, seguirá prestigiado pelo presidente Florentino Perez e pelos torcedores. Vem fazendo bom trabalho. Isso quase ninguém discute. Se perder, no entanto, deverá começar a enfrentar resistência. A imprensa espanhola cobra pesado e não admite que um time com a estrutura do Real passe uma temporada sem títulos.O técnico brasileiro, embora reconheça a importância do jogo contra a Juventus, prefere não relacionar o resultado de quarta com seu futuro na Europa . "Tenho 1 ano e meio de contrato com o Real." Mas está consciente de que passará a ser questionado.O time foi eliminado da Copa do Rei já com Luxemburgo no comando. E não consegue encostar no Barcelona no Campeonato Espanhol - está 8 pontos atrás. Precisa de um bom resultado em pelo menos uma competição. Se conquistar um dos dois títulos que ainda disputa, fatalmente irá se firmar na Europa. Caso contrário, terá mais dificuldade.Apesar do milionário elenco de galácticos, a equipe não consegue encantar já há muito tempo, bem antes de Luxemburgo ter sido contratado por Perez, há pouco mais de dois meses. A reformulação será inevitável, dizem os dirigentes.O Real precisa, amanhã, de um empate na Itália para seguir na Liga dos Campeões, pois, no primeiro confronto, em Madri, há duas semanas, ganhou por 1 a 0.Nesta entrevista exclusiva à Agência Estado, por telefone, diretamente da capital espanhola, Luxemburgo fala sobre sua vida na Europa, sobre o jogo com a Juventus, sobre Ronaldo... Mas com muita cautela. "Tudo o que sai aí sai aqui", justifica-se.AE - Como você encara sua primeira grande decisão na Europa?Luxemburgo: Para mim, é um jogo decisivo como muitos outros, não vejo como uma partida diferente.AE - Não acha que o resultado pode interferir no seu trabalho no futuro?Luxemburgo: Não, eu tenho 1 ano e meio de contrato ainda.AE - Como acha que pode derrotar a Juventus jogando dentro da Itália?Luxemburgo: Jogando do mesmo jeito que vencemos a partida em Madri. Está todo mundo bem aqui. Empatamos com o Valencia (sábado, 1 a 1), foi um bom resultado. Jogamos uma grande partida.AE - E como armará a equipe para segurar a Juventus, que precisa da vitória?Luxemburgo: Preste a atenção, não posso falar. Tudo o que sair aí sai aqui. Há algum tempo, dei uma entrevista aí para o Brasil e deu uma confusão por aqui. Não é o momento de falar muito .AE - E o Ronaldo? Como encara as críticas a ele?Luxemburgo: O Ronaldo está buscando, está querendo melhorar. É um grande jogador, já marcou um bonito gol contra o Valencia. E está bem fisicamente.AE - O sistema de trabalho na Europa é diferente. Já se adaptou nestes dois meses?Luxemburgo: Os costumes aqui na Espanha são diferentes, mas não tive nenhum tipo de problema. Existem diferenças culturais, no treinamento, na parte tática. Aqui, como no Brasil, ninguém gosta de concentração.AE - Por falar em concentração, saiu nas agências internacionais, recentemente, que você quis antecipar a concentração e os jogadores não aceitaram...Luxemburgo: Isso não é verdade, nem houve a proposta para antecipar a concentração.AE - Acha que é possível ainda brigar pelo título espanhol ou não dá mais para alcançar o Barça?Luxemburgo: Claro que é possível. Estamos 8 pontos atrás do Barcelona, mas a vitória valendo 3 pontos dá possibilidade de reação.AE - Jornais espanhóis noticiam que o Robinho já está contratado pelo Real. Você confirma?Luxemburgo: Não, acho que não está contratado.AE - Você acha que o Robinho já está entre os grandes jogadores do mundo ou não?Luxemburgo: Acho que o Robinho tem tudo para estar entre os melhores do mundo em breve.AE - Tem acompanhado o futebol brasileiro? Quais são, em sua opinião, os favoritos ao título?Luxemburgo: Tenho, sim. O Santos e o São Paulo são os melhores. Os dois mantiveram seus principais jogadores e, por isso, são os favoritos.AE - Planeja voltar quando à seleção brasileira?Luxemburgo: A seleção esteve muito com o Felipão e agora está muito bem com o Parreira . Não tenho esse pensamento agora . O dia em que o cargo estiver vago e receber um convite vou analisar o contrato.AE - No começo, você passou muito frio na Espanha . Já se adaptou, a família está com você?Luxemburgo: Estou adaptado. Moro num apartamento com minha mulher (Josefa) e uma das minhas filhas (Vanusa). Tenho meu carro, eu mesmo dirijo, já conheço os caminhos mais importantes, vou ao treino de carro . Passei frio no começo, mas não tenho mais problemas. Os lugares são aquecidos. Realmente nos jogos sofro um pouco mais, o frio é um dos mais pesados dos últimos tempos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.