Luxemburgo e Real não chegam a acordo

O treinador Vanderlei Luxemburgo, que agora está no Santos, e o Real Madrid não chegaram a um acordo, nesta quinta-feira, para resolver a questão da multa rescisória do brasileiro, demitido na semana passada pelo clube espanhol. As duas partes terão agora 15 dias para apresentar suas alegações perante o Comitê Jurídico de Arbitragem e Concialiação da RFEF (Real Federação Espanhola de Futebol), em Madri. Como foi demitido antes do final do seu contrato com o Real, que terminaria no dia 30 de junho de 2006, Luxemburgo pede o pagamento dos salários até esta data. No entanto, a direção do clube espanhol quer pagar apenas até 31 de dezembro deste ano. ?O Luxemburgo assinou um documento, o primeiro, com cláusulas por trimestres e depois o federativo. Este tem como garantia que, se o treinador é demitido, o clube tem que pagar até o final do contrato. Esperamos uma solução até o início de janeiro?, disse Fernando Pérez Espinosa, advogado de Luxemburgo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.