Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Luxemburgo elogia Grêmio e celebra classificação 'doída'

Equipe conquistou vaga para as 8.as da Sul-Americana com um gol aos 45 do segundo tempo contra o Coritiba

AE, Agência Estado

23 de agosto de 2012 | 09h26

CURITIBA - O Grêmio precisou de um gol aos 45 minutos do segundo tempo diante do Coritiba, na última quarta-feira, para conseguir a classificação às oitavas de final da Copa Sul-Americana. A derrota por 3 a 2, no Couto Pereira, foi suficiente para dar a vaga ao time gaúcho, que havia vencido por 1 a 0 na partida de ida, em Porto Alegre.

"Fizemos um gol no sufoco, mas também pela perseverança. O time é centrado, tranquilo. Tomamos os gols, mas continuamos insistindo, trabalhando bem a bola. Sair desclassificado hoje (quarta), com duas bolas que eles (Coritiba) acharam no segundo tempo, seria um pouco de injustiça. Conquistamos uma classificação doída", declarou o técnico Vanderlei Luxemburgo.

Apesar de admitir que a vaga foi conquistada de forma "doída", o treinador encarou a partida com naturalidade e apontou que já esperava um confronto difícil diante do Coritiba, principalmente atuando no Couto Pereira. Por isso, para ele, foi o resultado obtido no Olímpico que garantiu o Grêmio nas oitavas.

"Futebol não é fácil, é complicado. Não se conquista uma classificação com facilidade", afirmou. "Foi tudo dentro do contexto do futebol, nada disso me assusta. Mas o importante é que conseguimos a classificação, sabíamos que seria difícil. Jogar aqui é muito complicado, mas a vantagem que conseguimos em Porto Alegre foi o que prevaleceu."

Luxemburgo ainda explicou porque escalou o Grêmio com Marquinhos e Elano, deixando Zé Roberto para o segundo tempo. "Poderia começar com o Zé Roberto e o Elano, mas eu ia ter os dois desgastados, então preferi colocar o Marquinhos, que segura bem a bola, protege bem, com o Elano. Assim, o Zé Roberto entraria depois", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.