Luxemburgo encara 1º desafio no Santos

O Santos na nova era Luxemburgo tem um grande desafio pela frente nesta terça-feira às 18h30, na Vila Belmiro: vencer a equatoriana LDU (Liga Deportiva Universitária) por uma diferença de três gols para ficar a com a vaga para as quartas-de-final da Taça Libertadores, já que na partida anterior os santistas foram derrotados por 4 a 2. Com dois de vantagem, leva a decisão para os pênaltis, mas não é isso o que o grupo quer. Para conter a ansiedade pelo resultado difícil e que pode prejudicar o time, a ordem do novo treinador foi óbvia e clara: não se pode pensar no terceiro gol sem antes marcar o primeiro e o segundo. Para esse jogo, o time terá mudanças táticas e de jogadores. O lateral-direito Paulo César volta à condição de titular, enquanto Paulo Almeida ganhou a preferência do treinador, em nome do entrosamento que ele viu no ano passado e que espera ter novamente nessa partida. Antes de fazer essa opção por Paulo Almeida, na longa conversa de 50 minutos que teve com os jogadores, pediu ao volante que se definisse na frente de todos. "Posso contar 100% com você? Vai colocar o pé na bola, vai dividir?. Essas foram as perguntas que Luxemburgo fez ao atleta que deixará o clube em junho para defender o Benfica. Com a resposta afirmativa, ele voltou à condição de titular. Se o treinador estivesse na Vila no desfecho da negociação, não permitiria a continuidade do jogador. "Falaria para o presidente: vendeu, entrega." Mas o time vai ter mudanças táticas também. Luxemburgo fez a zaga treinar exaustivamente para tirar as bolas nos cruzamentos na área, lance que LDU abusou na partida em Quito e que rendeu os quatro gols marcados. Diego vai jogar mais avançado, perto da área e da dupla de atacantes, Robinho e Deivid, porque Luxemburgo quer vê-lo sendo marcado pelo volante. "Ele vai cuidar da marcação também, mas não quero que ele seja um marcador de volante, mas que o volante seja seu marcador." Já o lateral-esquerdo Léo vai ter de cuidar primeiro da marcação para só ir ao ataque quando a jogada permitir.Luxemburgo passou aos seus jogadores o que espera doadversário. "Eles vão tentar jogar no contra-ataque paradesarticular o Santos com marcação forte para provocar erros". Por conta disso, quer ver seu time fechando os espaços. Sabe que nessa partida os jogadores ainda vão atuar como vinham atuando com Emerson Leão à frente do time, já que realizou apenas um coletivo. Diego treinou nesta segunda-feira mais avançado, como atémesmo Leão vinha exigindo, mas disse que "independente dequalquer coisa", não vai deixar de ter a responsabilidade deajudar na marcação, "que deve começar pelos atacantes". O meia elogiou o adversário desta terça-feira. "É um time dequalidade, sentimos a altitude. Precisamos ter tranqüilidadepara buscar o resultado nos 90 minutos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.